A inocência presumida foi pro espaço!!

Direito Constitucional é esquecido pela Petrobras

Punições vieram a galope, sem direito de defesa.

Petroleiros punidos relatam o “inferno” que estão vivendo

Por telefone, dois dos petroleiros que foram punidos na Bacia de Campos relataram as pressões, assédios e ameaças que sofreram das gerências na greve de março. Eles falaram sobre o que mudou em suas vidas e o que está em xeque nesta disputa ideológica em que a Petrobrás transformou a campanha reivindicatória. Preservamos a identidade dos trabalhadores para protegê-los. Ambos estão menos de cinco anos na empresa, têm entre 22 e 25 anos de idade, moram fora de Macaé, continuam na luta pelo coletivo e confiam na solidariedade de classe da categoria petroleira.

“Jamais deixamos de acreditar no coletivo”

“Vivemos um verdadeiro inferno a bordo da plataforma, momentos antes de ser deflagrada a greve de março. Sofremos todos os tipos de pressão, assédio e ameaças por parte das gerências. Uma tortura psicológica, um desrespeito tão absurdo, que nunca na vida pensei que fosse passar por isso. Mesmo assim, resistimos e mantivemos a calma e o equilíbrio o tempo todo em que estivemos na sala de controle, apoiando os companheiros que estavam na operação da plataforma. A gerência queria ocupar a sala com a equipe de contingência e o que fizemos foi simplesmente acatar o indicativo do sindicato, preservando nossos postos de trabalho. Os gerentes, sim, faziam questão de deixar claro que ocupariam a sala de qualquer jeito, mesmo que fosse preciso conflito. Fizeram de tudo para nos desestabilizar, mas estávamos preparados para não entrar em confronto, pois sabíamos dos riscos que corríamos e que as gerências poderiam sabotar nossa greve. Por isso, trabalhamos exaustivamente, o tempo todo sob tensão, vigilantes para que nada afetasse a segurança e a integridade da plataforma. Vivemos situações extremamente cruéis, como ouvir o Geplat admitir que tinha cortado a comunicação da plataforma e que seríamos demitidos de qualquer forma, se permanecêssemos embarcados ou se desembarcássemos. Apesar de tudo isso, jamais deixamos de acreditar no coletivo. Lutávamos com a convicção de que as conquistas da greve seriam de toda a categoria. São extremamente injustas e infundadas as punições que sofremos. Não fizemos absolutamente nada que pudesse justificar essa atitude da Petrobrás. Estamos indignados e revoltados com as mentiras que estão sendo ditas para confundir a categoria. Fiquei sabendo que estão falando que a gente até cuspiu na cara do gerente, quebramos equipamentos, deitamos na sala de controle, ameaçamos e assediamos os gerentes… Imagina isso! Nós é que fomos submetidos a um verdadeiro inferno, fomos acusados, julgados e punidos sem motivo algum e sem qualquer direito de defesa. Nos usaram para coagir e subjugar a categoria. É muito clara a estratégia da Petrobrás: ataca as lideranças do movimento, espalha o clima de terror e perseguição entre os trabalhadores para impedir novas greves e mobilizações. Nossa categoria não pode permitir isso, pois seria um golpe na esperança de que juntos podemos corrigir as injustiças e lutar por um futuro melhor para todos. Continuo acreditando na luta, na solidariedade de classe e tenho certeza de que não seremos abandonados pelos trabalhadores”.

“Desestruturaram nossas vidas e famílias”

“O que mais me impressiona nisso tudo é a falta de pudor dos gerentes em manipular as nossas vidas. Além da humilhação, desrespeito e injustiça que sofremos, nossas vidas viraram de ponta cabeça. Fomos transferidos para terra há oito meses, à nossa revelia. Desestruturaram nossas vidas e famílias e ainda têm a cara de pau de inventarem absurdos a nosso respeito, tentando induzir a categoria a nos julgar por algo que não cometemos. Tenho plena consciência de que essas punições arbitrárias só ocorreram para as gerências medirem força com os sindicatos e nos fazerem de exemplo para esvaziar os próximos movimentos da categoria. A Petrobrás sabe que não houve motivos paras as punições, que foram desnecessárias, mas não acreditava que a categoria fosse reagir, como está reagindo, a essa injustiça. Uma das acusações que sofremos ao sermos punidos foi que cometemos assédio moral contra os gerentes, quando nós é que fomos de fato assediados o tempo todo por eles. Sabe por que? Porque acatamos o indicativo do sindicato. Esse é o jogo, essa é a estratégia da Petrobrás. Se a categoria engolir essas punições sem reagir vai estar permitindo que as gerências sigam adiante em seu objetivo, que é ceifar e enfraquecer qualquer tipo de movimento que venha ocorrer no futuro. Se isso acontecer, corremos o risco de nunca mais conquistar nada, pois não teremos mais correlação de forças para enfrentar os desmandos e injustiças das gerências. Tenho esperança de que na luta, nacionalmente unidos, conseguiremos reverter essas punições. Não por mim ou por meus companheiros, mas em honra de toda a categoria”



Anúncios

47 Responses to “A inocência presumida foi pro espaço!!”


  1. 1 Valneir dezembro 1, 2009 às 9:35 pm

    PARABÉNS PARA TODOS!!!!
    Aos que não acreditavam, está aí o resultado. Aos mercenários que durante todo tempo só pensavam no dinheiro do abono, fica aí a lição, para que no futuro ao invés de subtrair, procure somar.
    Os movimentos começaram a surgir por todo o pais e sabemos que esse mundo dá muitas voltas, ninguém está livre de punições injustas como estas no futuro, mas se estivermos unidos, temos muito mais chances de chegar a vitória. Um abraço a todos, segue a luta.

    • 2 Carlos Santos dezembro 2, 2009 às 1:23 pm

      Valneir,

      Parabéns pelo cancelamento da sua punição e dos demais companheiros!

      Lamento somente que tenha chamado de MERCENÁRIOS os companheiros (eu inclusive) que votaram a favor da terceira proposta (como eu), e que não tinham conhecimento, até a semana passada, dos detalhes das punições e por isso mesmo não podiam “comprar esta briga”!

      • 3 Valneir dezembro 2, 2009 às 3:46 pm

        Amigo, me referi aos que estavam sabendo de tudo, mas ainda assim estavam cegos pelo dinheiro oferecido pela empresa, mercenários sim, e no final ainda saem felizes, pois tem direito a tudo que a gnt consegue em nossas lutas, e não estão nem aí para os movimentos do sindicato, e alguns ainda deixam isso muito claro. Se você faz parte dos que “depois de saber” de toda a realidade que estava acontecendo na Bacia de Campos, se uniu ao nosso objetivo, então você não faz parte desse grupo ao qual me referi.
        Abraço! Segue a luta!

  2. 4 Carlos dezembro 1, 2009 às 5:12 pm

    Taí companheirada o resultado de nossas mobilizações

    Ganhamos!!!

    Itajaí fez movimento e está de parabéns pela participação nessa grande vitória nossa

    http://www.sindipetroprsc.org.br/index.php?id=157&mod=detalhe_noticia

  3. 5 PH dezembro 1, 2009 às 3:02 pm

    Só uma coisa…

    Eu não estava lá para ver o que aconteceu, mas tenho que dizer: quem leva 7 dias de suspensão não é por qualquer “besteira” ou “arbitrariedade” não, por mais que o gerente tenha acordado de mau humor.

    Afinal, eu fiz greve e não fui punido.

    Aí tem coisa. Provavelmente algum sindicalizado com cargo de confiança que sabe demais foi punido, ou é algum “r@bo preso”.

    • 6 deinis dezembro 3, 2009 às 1:21 am

      PH, é porque você não trabalha na UN-BC. Todo tipo de crime trabalhisdta e desrespeito aos direitos humanos fundamentais estão sendo praticados nesse canavial que é a Bacia de Campos. Acredite, a truculência aqui é absurda!

  4. 7 Carlos novembro 29, 2009 às 8:21 pm

    Então colega, estavam lutando sozinhos. Poucos sabiam das punições, a FUP/FNP não haviam se manifestado até começarem as discussões do ACT. Não houve LUTA, com greves e manifestações, isto deveria ter sido prioridade. Não podíamos em hipótese nenhuma ter esperado todo este tempo!! Assim que elas começaram deveríamos ter agido! O que está ocorrendo agora é um contra-censo.! Concordo com a reversão das punições, o que me revolta é que esperamos tempo demais! Há uma evidente manipulação aqui e isto não agrada a ninguem e denigre a imagem da Federação

    • 8 Valneir novembro 30, 2009 às 2:35 am

      Carlos, no mesmo dia que recebi a carta de punição de 7 dias, fui no Sindipetro NF entregar e ver qual seria a solução.
      Pedi para eles entrarem na justiça, mas os diretores disseram que se entrassem, por experiência de casos antigos, além de demorar anos ou até décadas para a solução, a Petrobras não iria aceitar negociar punição no acordo coletivo simplesmente porque já estaria em processo judicial. E de julho até agora, o sindicato só iria se desgastar na justiça e certamente não teria nenhum resultado imediato.
      Foi uma decisão de esperar só alguns meses, e assim eu apoiei essa decisão, acreditando na força do acordo coletivo.
      Vale lembrar a todos que com a greve de março a PLR mesmo que não muito, teve seu valor aumentado, e isso é muito positivo no cenário atual, onde todo ano a Petrobras vem utilizando todas as justificativas possíveis para reduzir o valor da mesma.
      Com a chegada do fim do ano (Natal e ano novo), não acredito que nossa empresa vá querer um outro movimento grevista. A situação se agravou e agora o sindicato tem o momento a seu favor. Já imaginou essas centenas de gerentes que embarcam nas equipes de contigência, perderem todos os seus planejamentos de natal e fim de ano só por causa dos 89 punidos??? Acredito que essas punições mais cedo ou mais tarde serão retiradas e todos nós teremos um feliz 2010, é o que desejo para todo sistema Petrobras.
      Abraço!!!

      • 9 Carlos dezembro 1, 2009 às 7:14 pm

        Há outras formas de manifestação.
        Não havia necessidade de entrar na justiça. Devíamos ter feito ao menos um MOVIMENTO. Assim, mesmo que não revertessemos imediatamente as punições, teríamos mobilizado a categoria.
        Agora a questão está encerrada. Não vamos mais tocar nesse assunto, o que aconteceu nas entrelinhas do movimento ficou para tras e pronto.

  5. 10 Wagner 1 novembro 29, 2009 às 12:33 pm

    Galera

    Venho aqui declarar que não sou o mesmo Wagner que apoiou a Mariana:(28/09/2009 as 11:48 am).
    Já deixei outros 2 Posts neste Blog e não confundam minha posição de Grevista Centrado com a posição do Pelego Individualista (Meu Xará).

    Conforme havia declarado antes, fiz minha parte e estou divulgando entre os companheiros quais são estas Punições cujas reversões estamos lutando junto da negociação deste acordo coletivo.
    Quando relatei a realidade do ocorrido com nossos companheiros punidos, deixei a equipe arrependida com as declarações que estavam fazendo, e todos se solidarizaram com os companheiros Punidos.

    É valido falar para os Sindicatos e para os Punidos buscarem a solução na Justiça, isso é possivel, mas vale lembrar que 10 anos de espera pela solução destes problemas é muito tempo, e nas condições que principalmente os desimplantados e os transferidos se encontram, esta situação pode acabar com as relações familiares deles (eles tinham uma vida antes, e hoje fazem milagre para sobreviver).

    Problemas financeiros quase todos nós temos, mas isso é um problema particular, Abono não é remuneração fixa, Ninguém deve fazer divida contando com Abono. Se voce esta financeiramente apertado, brigue por um aumento real no salario base, esse dinheiro é fixo, e os adicionais (até mesmo a RMNR que não é Adicional) veem a reboque do salario base, aumentando realmente este, aumenta o bolo salarial todo. Ninguem precisa de Abono (pega esse Abono e divide por 12, quanto é 0,5% à 1% de uma remuneração normal?? 2% à 3% do salario base?? acho que nem isso) acho mais vantagem pedir mais 5% de reajuste no salario base. Lutar pela reposição das perdas salariais (23% segundo o DIEESE – Orgão de estudos econômicos criado para ajudar o trabalhador na tomada de decisão, não é um orgão sindical) isso é valido.

    Há muitos outros meios de cobrir sua divida de imediato, a Petros (tanto a Petros como a Petros II) esta disponibilizando emprestimos consignados na folha de pagamento (Juros Baixo, Prazos Variaveis, em até 5 dias uteis tendo margem consignavel sai o dinheiro na conta, etc) isso já pode aliviar a situação dos financeiramente apertados.

    Vamos continuar na Luta, o que hoje acontece com outra pessoa, amanhã pode acontecer com voce.

    Nota: Se a base do Sindipetro NF ficar com medo de Punições e começar a furar os movimentos sindicais, todos os petroleiros serão prejudicados (O dinheiro da Petrobras ainda vem da Bacia de Campos, o Pré Sal ainda é um projeto, e quando for realidade vamos ter de contar com os novos Petroleiros que lá estarão trabalhando) se a base petroleira começar a abandonar o barco do movimento sindical com medo das Punições, só teremos a perder nos Acordos Futuros.

    Valeu

  6. 11 Valneir novembro 29, 2009 às 7:56 am

    – Áh se houvesse uma lei, onde só tivessem direitos ao que for conquistado através de movimento sindical as pessoas que efetivamente participassem desses movimentos. Eu iria lembrar de você com tanta felicidade Mariana.
    – Como disse o Deinis, como que aquele simulador de abono mexe com a cabeça de algumas pessoas né? Aí fica difícil.
    – Agora você se referir a nós como baderneiros e destruidores de patrimônio público, que isso???? Sinceramente você não merece resposta, e se eu fosse você, depois dessa pararia de escrever aqui nesse blog, que tem contado com depoimentos e comentários de pessoas tão centradas e esclarecidas. Baderneiros e destruidores de patrimônio!!! Inacreditável que um petroleiro(a) tenha escrito isso.
    – Imagino o orgulho que seu gerente ou coordenador deve ter de poder contar com uma pelega como você na equipe dele eim… até prq eu conheço uma petroleira muito parecida com você, e vocês tem o direito de agir e pensar como quiserem né.
    – Mas áh uma greve surpresa nas vésperas do natal e fim de ano, pra você e esses quase mil pelegos da Bacia de Campos passarem o natal e réveillon embarcados montando contingência eim??? Você iria adorar as horas extras né?
    Abraço e felicidades. Que Deus te abençoe!!!!
    Obs: Parabéns pelas palavras Raquel.

    • 12 Mariana novembro 30, 2009 às 4:59 pm

      Vejo que estou bem popular por não concordar com está situação,mais faço questão de te responder fiz greve não fiz baderna, por isso não estou entre os punidos gosto do meu trabalho não tenho perfil de revoltado ,com certeza sou muito bem quista com todos os meus superiores,vc não me conhece então não me julgue,sei dos meus direitos e principalmente dos meus deveres.E acima de tudo sou bem responsável.Não me referi a ninguém especificamente como baderneiro,sou sindicalizada tanto quanto vc, mais tenho discernimentos quanto a atitudes impensadas,não sou obrigada a dizer amém pra sindicato e tenho o direito de discordar.sinto muito se não te agradei,não te conheço e vc é o tipo de pessoa xiita demais pro meu gosto,sensatez é bem melhor do que radicalismo.

      Boa sorte……….Valneir

  7. 13 Petroleiro novembro 28, 2009 às 9:30 pm

    É necessário deixar algumas coisas bem claras:

    1) O Presidente da Petrobras não faz parte do quadro de funcionários do Sistema Petrobras. Nenhum diretor faz parte. São indicações políticas. E sempre será assim, enquanto o governo for o acionista majoritário.

    2) Direito de greve do trabalhador se restringe a cruzar os braços. Só isso. Qualquer coisa além disso é excesso e permite à empresa tomar as contra-medidas necessárias.

    3) É prerrogativa da empresa decidir sobre embarque, desembarque, regime de trabalho (onshore ou offshore), etc. É prerrogativa da empresa decidir se mantém ou não a produção. Vale lembrar que a empresa é uma sociedade de capital misto, ou seja, tem dinheiro da iniciativa privada ajudando a manter o fluxo de caixa da Petrobras.

    4) A greve de março foi instaurada em um momento crítico para o Brasil e para o mundo. Muitas pessoas estavam perdendo seus empregos. E os petroleiros falando de greve. Meus amigos e familiares me perguntavam: “Pq vcs querem greve justo agora? Estão insatisfeitos pq? Com que direito?” Eu tentava amenizar: “estamos lutando por melhores condições de trabalho, que envolvem questões de segurança das pessoas e das instalações.” Mas não colava, pois aquilo não era verdade nem pra mim. Daí eu pergunto: como foi que acabou a greve? Nos deram um cala boca e aumentaram um pouquinho a PLR. Ou seja, como pessoa e como profissional, me senti mal antes, durante e depois daquela greve.

  8. 14 Raquel novembro 28, 2009 às 1:43 pm

    Mariana, sobre a questão do investimento do FGTS, acho que o sindicato não pode ser responsabilizado pela sua decisão de não investir o FGTS em ações. É muito provável que se vc tivesse investido e, por algum motivo tivesse perdido dinheiro, também estaria reclamando do sindicato. Conselho a gente aceita ou não. Você deveria desenvolver seu próprio senso crítico com relação aos seus investimentos pessoais. Mas é assim mesmo, a gente só aprende a viver, vivendo.

    Com relação às punições, ainda não consegui entender se a minha punição está de alguma forma relacionada ao sindicalismo ou não. Fui suspensa por 29 dias. Tive um mês de salário descontado. Não vi qualquer outro petroleiro (do sexo masculino) punido desta forma. Não sou feminista, mas, sustento meu filho sem a ajuda do pai e me sinto injustiçada. Perdi a oportunidade de apresentar dois trabalhos em um evento internacional de Geologia do Petróleo por conta desta suspensão.

    O fato é que há algum tempo venho fazendo contato com o sindipetro-nf. Levei alguns dos diretores para conversar com as pessoas do setor que trabalho para tentar mostrar a nossa realidade e reivindicações. Minha vida já era um inferno por conta de uma denúncia de assédio moral feita a Ouvidoria da Petrobras. Depois do envolvimento com o sindicato e manifestação em público de opiniões pessoais parece que acabei incomodando a alta gerência da BC.

    Acho que passei dos limites na questão comportamental, sim, porque estou sob muita pressão psicológica, mas acho também que houve sim, por parte do GG da BC uma forma de me punir por eu ter alertado que a empresa deveria estar pagando horas-extras às pessoas que utilizam o transporte Macaé-Rio de Janeiro-Macaé quando vão fazer cursos no Rio, inclusive os profissionais de nível superior. Sugeri que os colegas se utilizassem do direito de recusa, caso sentissem que acordar às quatro horas da manhã ou chegar no centro do Rio no domingo à noite pudesse ameaçar a segurança pessoal dos funcionários ou à saúde do trabalhador. Relatei que as condições de trabalho na BC seria o maior problema de Macaé, e não a cidade em si. Perguntei que providências o RH da Petrobras achava que poderiam ser aventadas e recebi como resposta do GG que eu procurasse outro emprego se não estivesse satisfeita com a Petrobras.

    Perseguição política? Fica a critério de cada um.

    Acho que as pessoas que estão envolvidas com as lutas sindicais são sempre movidas pelas melhores intenções. Se algo não está legal e alguém tem algo a sugerir, envie um email, faça contato pessoal com algum diretor ou com a oposição. Cada um é livre para se unir ao grupo que achar melhor. O que não dá é ficar falando mal e enfraquecer uma organização que é nossa, dos trabalhadores, conquistada com o suor e até com o sangue de muitos outros que vieram antes de nós.

    Um abraço e que a providência divina ilumine nossos passos para o bem de todos. Afinal, desde o Presidente da Petrobras até sindicalistas, todos nós pertencemos ao mesmo barco: trabalhadores do Sismtema Petrobras. Cabe a cada um de nós assumir com dignidade seu papel e se lembrar que a Petrobras é do povo brasileiro e que só é uma empresa multinacional atualmente porque alguns de nós acreditaram em seu potencial e outros tantos a construíram no dia-a-dia do tamanho que se apresenta para o mundo.

    • 15 Mariana novembro 30, 2009 às 4:33 pm

      Nada pessoal,porque não te conheço talvez vc esteja se expondo demais,meu pai trabalhou em uma grande empresa como nós e o perfil dele é muito semelhante ao seu,seja menos critíca e seja mais observadora, não estou falando pra vc perder seus ideaís,mais seja mais comedida em suas ações,meu pai pecou por excessos de atitudes impensadas,até antes de se aposentar foi perseguido por seu superior,ficou amargurado e sentido-se injustiçado por entrar sempre em atrito com sua chefia,foi marcado e sentenciado.E como nós tbm tinha um sindicato forte que não lhe valeu de nada.Afinal vc tem um filho e ele deve ser sua prioridade em todos os sentidos,se vc estiver bem ele tbm estará,espero que não me leve a mal,mais a vida ensina e as vezes ela é bem cruel.

      Fique bem……..Raquel

  9. 16 Mariana novembro 28, 2009 às 9:15 am

    QUANTO A EU NÃO SER UMA DAS PUNIDAS ,EU VOU PRA PLATAFORMA TRABALHAR E NÃO FAZER BADERNA E DESTRUIR PROPRIEDADE PÚBLICA.DOU MUITO VALOR A MEU TRABALHO ONDE ESTUDEI COM MUITO SACRIFICIO PARA ENTRAR NA EMPRESA,E ME ORGULHO DE TRABALHAR EM UMA DAS MAIORES EMPRESAS DO MUNDO.NÃO CUSPO NO PRAT QUE COMO.

  10. 17 Mariana novembro 28, 2009 às 9:09 am

    Vc deve ser o politicamente correto da empresa!!???Só pra refrescar quem teve a idéia Lula,seu filho sindicato disse não.Pergunte ao Diretor quanto o sindicato repassa pro PT(PARTIDO DOS TRABALADORES) DE CONTRIBUIÇÃO????????????NÃO SEJAMOS HIPÓCRITAS.Eu me arrependo de não ter investido no FGTS e ter seguido o conselho do sindicato,mais na epoca o sindicato falou que era arriscado.Feliz aquele que investiu e lucrou;Não sou hipócrita!!!!!!!!!!!!!!

    • 18 Wagner novembro 28, 2009 às 11:48 am

      Mariana, estou fechado contigo.
      Estamos pagando pelo erro de alguns colegas de trabalho que resolveram se expor a mais do que deviam. Onde trabalho, na greve de março, à meia noite entregamos o controle da unidade para a equipe de contingência e solicitamos nosso desembarque. Tudo foi tranquilo. Porém, o que posso fazer por aqueles que se excederam ? Tem casos de colegas de outras unidades que realizaram fechamento de poços de produção, isso é se expor demais. Mas essa atitude foi fruto de um sindicato que possui líderes incapazes de negociar com a Empresa sem expor seus filiados, um sindicato que utiliza a maior parte dos seus filiados como meros marionetes a fim de mostrar sua força política e sabe-se lá para que finalidade. Depois de março solicitei minha desfiliação pois EU TENHO LIVRE ARBÍTRIO e não deixo me levar por interesses escusos. Agora estamos aqui, sem qualquer expectativa de solução deste impasse, sabem que a maioria está a favor da proposta da empresa, logo FUP e SINDIPETRO, DEIXEM A CATEGORIA VOTAR SE ACEITA OU REJEITA A PROPOSTA !!!

    • 19 Deinis novembro 28, 2009 às 12:33 pm

      Mariana:
      Primeiro deu uma de desentendida, agora mostrou pra que veio. Tá doida pra ganhar aquele abono logo, né?

      • 20 Mariana novembro 30, 2009 às 3:50 pm

        Querido não sei qual é o seu nível,eu já topei a muito tempo e modéstia a parte tenho um contra cheque bem gordo,não necessito ficar torcendo pra sair PLR OU ABONO por melhor que seja, são 20 anos de empresa e trabalhando.Talvez logo logo eu seja sua chefe,quem sabe??!!!!!!!Vejo que vc é da turma da baderna gosta de uma confusão,aconselho não deixar sua cara na reta,pois o peixe morre pela boca.

    • 21 Wagner novembro 28, 2009 às 2:55 pm

      Valeu Valneir

      Sua Descrição sobre as Punições foram excelentes, Acredito que a maioria dos Companheiros desconheciam completamente o ocorrido com os Punidos. Digo maioria se referindo aos Petroleiros das demais bases sindicais pelo Pais, não só os da Bacia de Campos, afinal o Acordo é Coletivo para todos os sindicatos do Pais.

      Acompanho as Atividades da Base de Voces (Sindipetro NF), justamente por reconhecer a força do sindicato de voces no quadro nacional, se voces não sabem, muitos companheiros de outras bases sindicais usam voces como termômetro do movimento sindical petroleiro.

      Ficou muito mais facil apoiar o indicativo do sindicato, afinal estas punições que voces receberam, nós grevistas podemos receber futuramente, vamos unidos lutar pela reversão destas Punições (Principalmente as Transferências e as Desimplantações de Regime), são realmente muito complicadas estas situações, desestruturam a vida de qualquer um.

      Sou de outra base sindical, e farei o possivel para divulgar os fatos ocorridos com os companheiros da Bacia de Campos.

      Unidos somos mais forte, A luta continua.

      PS.: Acredito que a FUP deve lutar também por um aumento do reajuste real no Salario Base (Devemos ter a consciência que é no Salario Base onde incidem todos os Adicionais e consequentemente a RMNR aumentaria também).
      Ganho Real na RMNR é Atirar contra o Proprio Pé, afinal o calculo da sua Aposentadoria não leva em conta nenhuma especie de Remuneração Variavel (como é a RMNR), e todos iremos nos Aposentar um dia.

      Obrigado.

  11. 22 Valneir novembro 28, 2009 às 9:08 am

    MARIANA, já que vc não sabe que punições são estas vamos explicar alguns detalhes aqui que talvez possa ajudar.

    -7 pessoas foram punidas com sete dias, inclusive eu.
    Reflexo disso – Desconto desses dias na folha salarial, além do desconto dos 5 dias da greve. Desconto de 7 dias nas férias, tanto no pagamento quanto na quantidade de dias (vc só tem direito a 23 dias), fica proibido de ganhar nível ou promoção durante um ano. Vc não incorpora o valor relativo aquele anuênio ao salário entre várias outras injustiças que não recordo agora.

    Os demais 82 punidos se dividiram entre 1 dia de suspenção e advertência por escrito.

    – 1 dia de punição – Reflexo – Desconto do dia na folha salarial, além dos 5 dias da greve, fica proibido de ganhar nível ou promoção durante um ano.

    – Advertência por escrito – Reflexo – Se não me engano fica seis meses sem ganhar nível ou promoção, como nossa avaliação é anual, vai-se um ano de esforço pro ralo.

    Soma-se a isso, tudo que os colegas já disseram abaixo, o funcionário é desimplantado, fica on shore, perde os adicionais e ainda tem que gastar muito pra trabalhar em Macaé.

    Parabéns pelas palavras Antônio, já conversamos pessoalmente e dividimos as mesmas opiniões, se vier, seja bem vindo ao Ativo Sul, estamos te esperando orgulhosos.

    MARIANA, tenha certeza que muitas das vantagens incorporadas no seu salário e no seu contrato na Petrobras foram conseguidas por essa categoria hoje punida que nunca desiste de lutar. Então pense bem e reflita antes de levantar a mão pra votar durante uma assembléia. A união faz a força e o que vc está querendo agora, pode ter certeza que conseguirá muito mais no futuro. Abraço a todos e segue a luta!!!

    • 23 Mariana novembro 30, 2009 às 4:09 pm

      Sou da seguinte opinião ninguém foi punido do nada,com certeza fez algo para que a sua gerência tomasse providências cabíveis em relação ao comprtamento nada responsável,somos adultos cada um deve arcar com suas responsabilidades.Se acha injustiçado acione a justiça,agora não me venha contar com as costas quentes do sindicato!!!!!!!!!!!Porque não colocam em votação? Eu respondo: porque sabem que não vão conseguir tirar as punições sem impor a sua vontade.Agora porque o cara foi idiota a ponto de fazer excessos!Segure sua batata quente e da próxima pense duas vezes.

  12. 24 Mariana novembro 28, 2009 às 8:26 am

    Quero só lembrar a vcs Companheiros e Camaradas(até o jargão é o mesmo de lula) que o SINDICATO,PT (PARTIDO DOS TRABALHADORES),LULA GOVERNO PETROBRÁS,são tudo uma coisa só,está briga não tem lógica,todos comem no mesmo cocho,e colocam nós funcionarios em uma briga sem sentido.VOU LEMBRAR A VCS UMA QUE O SINDICATO A ALGUN TEMPO NOS ACONSELHOU A NÃO FAZER!!,INVESTIR A GRANA DO FGTS COMPRANDO AÇÕES DA EMPRESA>(O SINDICATO ACONSELHOU NÃO FAZER,E EU SEGUI O CONSELHO DELES ME FERREI,QUEM NÃO SEGUIU SE DEU BEM).Não somos marionetes nas mãos do sindicato,queremos votação para proposta;Cobrem os direitos dos “PUNIDOS”na justiça.Acho que o que tem que cair é a “MÁSCARA DO SINDICATO”e terminar está”briga só pra inglês ver.Chega de farsa.

    • 25 Alexandre Alves novembro 28, 2009 às 8:35 am

      Comprar FGTS é Privatização! Ainda bem que o sindicato te aconselhou a não comprar!

      Já pensou se você fosse um dos punidos e alguém falasse isso: Vamos discutir na justiça. Tu ia achar interessante???

      • 26 Valneir novembro 28, 2009 às 9:14 am

        Na justiça iria demorar várias anos ou décadas. Por isso estamos usando o acordo coletivo. Com essa cede que vc tá de assinar esse acordo vai ficar difícil de vc entender qualquer explicação que alguém venha lhe dar. Alexandre falou tudo, imagina se vc fosse umas das punidas…

  13. 27 Gabriel novembro 28, 2009 às 8:00 am

    Sugestão.
    Porque A FUP não faz esse acordo com cláusulas sociais com validade de 1 ano, apenas dessa vez? Isso faria com que os acordos sociais sejam em ano par, coincidindo sempre com as eleições presidenciais. Ninguém vai querer ver a maior empresa do país, motor da economia, parada no ano de eleições.

  14. 28 Alexandre Alves novembro 28, 2009 às 7:52 am

    Acredito que as opiniões colocadas aqui pelos camaradas são extremamente importantes, nós que estamos distante dos locais das punições estavamos recebendo informações de tudo quanto é tipo, informações que tentavam desqualificar os companheiros da luta.

    Note que dois deram o depoimento do Post mas outras pessoas que sofreram punições já deixaram comentários. Isso reforça a nossa unidade na luta e nossa necessidade de velocidade na informação com a base.

    Acho que todos tem o papel e a responsabilidae de ajudar a divulgar os fatos

  15. 29 Deinis novembro 28, 2009 às 3:00 am

    Foram 89 os punidos na Bacia de Campos!
    Vocês não sabem o que é aguentar a chantagem dos gerentes, dizendo o tempo todo que “daram um jeito” de nos punir. As comunicações foram cortadas vários dias antes da greve, ficando todos em isolamento total das famílias e dos representantes. Durante a greve, chegou-se ao cúmulo de manter alguns profissionais em cárcere privado, para garantir o efetivo mínimo de salvatagem.
    89 pessoas foram oficialmente punidas. Alguns com advertências, muitos com suspensões de 7 dias. Antes disso, eles foram desemplantados, estão trabalhando em Macaé, longe de suas famílias, pagando aluguel e gastando mais, e ganhando metade do salário. Eles estão sofrendo muito e a família deles também. Vocês tiveram vários meses para se informarem disso também, então foram omissos.
    Essas punições não poderiam acontecer, pois não foi feito nada além do tipo de greve que sempre teve, parando a planta e entregando na mão dos pelegos. O pior foi que aconteceram depois que a Petrobras se comprometeu publicamente a não perseguir quem participou da greve. O Sindipetro-nf entrou na justiça, pra tentar reaver alguma coisa, mas não podemos esperar 10 anos para que o judiciário decida. A Petrobras mente e nos engana o tempo todo, temos que reagir a isso, e temos que reverter as 89 punições!

  16. 30 89 punições na Bacia de Campos novembro 28, 2009 às 2:49 am

    Vocês não sabem o que é aguentar a chantagem dos gerentes, dizendo o tempo todo que “daram um jeito” de nos punir. As comunicações foram cortadas vários dias antes da greve, ficando todos em isolamento total das famílias e dos representantes. Durante a greve, chegou-se ao cúmulo de manter alguns profissionais em cárcere privado, para garantir o efetivo mínimo de salvatagem.
    89 pessoas foram oficialmente punidas. Alguns com advertências, muitos com suspensões de 7 dias. Antes disso, eles foram desemplantados, estão trabalhando em Macaé, longe de suas famílias, pagando aluguel e gastando mais, e ganhando metade do salário. Eles estão sofrendo muito e a família deles também. Vocês tiveram vários meses para se informarem disso também, então foram omissos.
    Essas punições não poderiam acontecer, pois não foi feito nada além do tipo de greve que sempre teve, parando a planta e entregando na mão dos pelegos. O pior foi que aconteceram depois que a Petrobras se comprometeu publicamente a não perseguir quem participou da greve. O Sindipetro-nf entrou na justiça, pra tentar reaver alguma coisa, mas não podemos esperar 10 anos para que o judiciário decida. A Petrobras mente e nos engana o tempo todo, temos que reagir a isso, e temos que reverter as 89 punições!

  17. 31 Antonio Alves da Silva novembro 28, 2009 às 1:16 am

    Aos companheiros apressadinhos, aos que só conseguem ver o próprio umbigo e para os que não conhecem a bela história do movimento sindical petroleiro:
    aprovar um acordo coletivo com punição arbitrária as lideranças das plataformas da Bacia de Campos é decretar o fim de movimento numa região fundamental ao movimento sindical e é tudo o que a gerentada quer. Forçar a barra nesse momento é fazer o jogo do patrão, é trair os trabalhadores que sempre estão na luta e responsáveis pelo que essa empresa representa para o Brasil. Não caiam nessa armadilha engendrada por pessoas que não merecem o mínimo de respeito, nem dos próprios filhos.

  18. 32 Antonio Alves da Silva novembro 28, 2009 às 12:56 am

    Senhores,
    Em respeito aos companheiros que acessam e aos que opinão no blog, essa maravilhosa invenção de comunicação, sinto-me no dever de relatar a minha opinião sobre a situação atual do movimento sindical petroleiro.
    Tenho 50 anos de idade e estou a trinta anos na Petrobrás, nunca me omiti da luta e com muito orgulho participei de todas as lutas da classe desde a época da ditadura militar e nunca, repito, nunca nesses longos anos vi na Petrobrás, pelo menos na área de E&P, uma situação como a do momento.
    Atualmente estou lotado na Bacia de Campos e sou um dos punidos com 7 dias de suspenção devido a greve de março. Sei que para os companheiros que não estavam presentes no momento, fica a dúvida sobre o comportamento do trabalhador punidos na deflagração da greve e disso se aproveita os maus gerentes e infelizmente alguns péssimos companheiros para tentar injetar o veneno da desconfiança nos demais companheiros da categoria.
    Esclareço que não sou nenhum inconsequente, como mostra meu histórico profissional na Empresa e graças a Deus uma vida familiar e financeira equilibrada, não sendo nenhum revoltado com a Petrobrás, muito pelo contrário. Na verdade, os gerentes da Petrobrás começaram com a truculência dois dias antes da deflagração do movimento, no momento em que fomos informar ao geplat o resultado da Assembléia e os componentes da comissão de greve e o mesmo informou que os mesmos deveriam desembarcar para fazer cursos (não programados), em terra, numa clara e criminosa tentativa de minar o legítimo direito constitucional dos trabalhadores mirando propositalmente nos líderes, entendão os senhores como os trabalhadores ficaram a partir desse momento. Imediatamente foi convocada uma Assembléia e a mesma decidiu que como o curso não havia sido programado antes do embarque e que a verdadeira intenção era atingir moralmente as lideranças, que os companheiros apontados não deveriam desembarcar e que contariam com a solidariedade dos presentes,infelizmente dos 4 programados dois tiveram problemas psicológicos devido a estúpida coação moral (bem pior que o assédio), feita por dois geplats e o chefe de base e ficou decidido que esses dois companheiros tinham chegado ao limite e os mesmos foram liberados. Os que ficaram da comissão que fique bem claro tiveram todo apoio dos demais companheiros e ai sim os gerentes aumentaram o volume do assédio moral não só as lideranças, como também a todos companheiros embarcados. No dia D o comportamento dos gerentes a bordo chegou ao auge da loucura mostrando claramente o despreparo completo dos mesmos para lidar com a situação tentando minar a todo custo a greve alegando que estavam cumprindo ordens do estrella e do gg. Detalhe importantísimo: a sandice gerencial chegou ao ponto de dois dias antes da greve cortarem todo tipo de comunicação exterior, no pior atentado que se pode fazer a um movimento dos trabalhadores e essa(s) pessoas que ordenaram esse atentado aos trabalhadores e ao movimento sindical não podem sob hipótese alguma ficar impune, é (são) verdadeiro(s) terroristas. Chegou a noite e os gerentes queriam porque queriam tomar posse da sala de controle antes da zero hora junto com a tropa fura-greve mas recuaram devido a disposição dos trabalhadores e as 23:30h chegaram com a tropa a fim de tomar posse e foram informados pelos trabalhadores que antes das zero não entregaríamos pois não reconheciamos nos fura-greve capacidade de manter a segurança da unidade. A zero hora informamos ao mesmo que baseados no direito constitucional e na lei de greve estávamos em greve e que ficaríamos no controle da produção de acordo com o indicativo do Sindipetro-NF e para preservar os equipamentos e demais ativos da Petrobrás.
    O assédio moral continuou a todo vapor com o geplat entrando a cada instante com cartas de ameaças aos trabalhadores num claro desrespeito ao direito constitucional de greve. Devido ao quadro regional, o sindipetro indicou a entrega do controle às 04:00h e a solicitação de desembarque de toda equipe grevista. Tempos depois começaram a soltar balões de ensaio sobre punições aos grevistas numa clara continuidade de assédio moral. Em agosto ficamos sabendo que toda a equipe tinha sido punida com advertência por escrito exceto eu que fui punido com 7 dias por ter sido o líder (o que é verdadeiro), embora eu só tenha cumprido o que foi decidido nas belíssimas assembléias e em nenhum momento tenha faltado ao respeito a quaisquer pessoa da plataforma. As sequelas da atitude dos gerentes da Empresa continua com afastamentos por motivos psicológicos e outros e o ambiente entre a peãozada e os gerentes é o pior possível.
    Ps: fui informado que sou “persona non grata” pelos gerentes da unidade devido a minha liderança e como castigo serei transferido para a P-7 ( essa parte da P-7 é o boato corrente). Aos futuros companheiros de P-7 que fique bem claro que entendo como uma promoção.
    ps2: No momento estou de licença médica devido ao joelho podre (coisa da idade) e estava apreensivo quanto a reunião do conselho da FUP, mas, com a coerente decisão do conselho voltou a minha velha e conhecida alegria e confiança nos homens de luta.

  19. 33 Valneir novembro 27, 2009 às 11:42 pm

    São tantas pessoas deixando suas opiniões, o que é muito válido por sinal, mas quero lembrar que somente quem passou por tudo isso aí que nossos dois companheiros estão relatando, sabe exatamente como foi a pressão, seja nessa greve de março/2009 ou em tantas outras que aconteceram. Meu orgulho maior em ler esse texto, foi na parte em que eles dizem que mesmo com tanta ameaça, acataram o indicativo do sindicato, simplesmente pela defesa do respeito à categoria, simplesmente porque assim manteriam a força pra lutar no futuro. Quando decidi pela mesma opção desses dois companheiros, já imaginava que tudo isso viria acontecer, punições, descontos, perda de nível ou promoções, entre várias outras vantagem que ficariam para trás naquele momento, mas com a união do grupo no qual faço parte fomos até o fim. Ouvi coisas absurdas, vi colega de trabalho passando mal, tamanha era a pressão e se não fosse a frieza e experiência de alguns até o próprio grupo se desentendia. Nunca tive vergonha de dizer que também estou entre esses punidos e por sinal com a punição máxima que foi dada. Esses quase 100 punidos ajudaram a manter o respeito pela categoria em nossas reivindicações e mostrar que não vamos abaixar a cabeça para humilhações e assédio de alguns gerentes que acham que são donos da Petrobras e que podem pisar na categoria. Termino dizendo que, quando li no site do sindipetronf (www.sindipetronf.org.br) que foi unânime a votação para não aceitar a última proposta da empresa, e que sem retirar as punições não há acordo, percebi o quanto importante foi a greve de março de 2009 e que a Petrobras de norte a sul do país estará unida para reivindicar de forma justa o que temos direito. Tenho orgulho de trabalhar com vocês. Um grande abraço e segue a luta!!!

  20. 34 Henrique novembro 27, 2009 às 11:21 pm

    Prezados colegas, já presenciei situação idêntica e sei que não é fácil lutar contra gerentes, coordenadores e supervisores, que ameaçou a equipe que estava na sala de controle dizendo “Vocês tem 15 minutos para entregar a sala de controle, caso contrário, iremos punir”. Acredito que vocês foram usados e penalizados de forma injusta pela gerencia para tentar enfraquecer o movimento, a FUP tem que divulgar esta matéria como bem colocou o colega Carlos. Vamos ser mais objetivo e falar a verdade, doa a quem doer, vamos lutar pelo que é de direito e que está respaldado no direito de greve do trabalhador, a justiça nem sempre é a favor da verdade, mais se a usarmos de maneira correta e bem respaldada, ela com certeza nos dará a vitória.
    Que Deus proteja a todos acima de tudo e que só a verdade do homem, pode remover as mentiras dos que não usam.

  21. 35 Carlos novembro 27, 2009 às 10:48 pm

    Acho que estamos sendo manipulados pelos dois lados.
    Infelizmente, estamos sujeitos a todo tipo de jogo. Claro que devemos lutar contra punições. Só acho estranho esperar tanto tempo para se manifestar. Tivemos 5 meses de calmaria para acabar o anos sem acordo? Porque a FUP/FNP não se manifestou antes??? Podíamos ter feito algumas mobilizações específicas neste tema e ter acabado com isso logo no início. Me desculpem a franqueza (até aceito o veto do moderador). Mas tem algo de mal contado nesta estória!!! Vamos resolver isso logo não quero virar uma ano me sentindo um marionete!!! Digo isso para ambos os lados!!!

  22. 36 Mariana novembro 27, 2009 às 10:47 pm

    Não se fala claramente que tipo de punição foi aplicada pela empresa,o sindicato não pode usar a classe como um todo,para exigir retirada das puniçoes,quem garante que eles não extrapolaram nas manifestações,deve-se colocar em assembléia a proposta e as “Punições” cobrar na justiça,me sinto usada pelo sindicato para exigências absurdas,afinal que respeito vai ter a empresa se abrir mão de sua autoridade como patrão?!Vai virar bagunça e todos vão achar que podem fazer o que bem entender.VAMOS COLOCAR EM VOTAÇÃO E DEIXAR QUE A DEMOCRACIA FALE MAIS ALTO,E NÃO CABE AO SINDICATO DESCIDIR PELOS TRABALHADORES.

    • 37 Deinis novembro 28, 2009 às 2:58 am

      Mariana, de que democracia você está falando? Esqueceu que já foi votado que a condição para o fechamento do acordo coletivo é a reversão das punições?

  23. 38 Carlos novembro 27, 2009 às 10:40 pm

    Oi…

    No governo Collor as punições (demissões) foram revertidas inclusive para muita gente incompetente mesmo. Mas o sindicato não tinha “incompetemômetro”, infelizmente para separa o joio do trigo.

    Muitos de nós daqui da Bahia (UN-BA) não sabe nem direito que punições foram dadas… fora a perda dos 5 dias.

    Já se fala que as negociações sobre as punições serão empurradas prá frente… aceitando-se a proposta da Petrobras. Creio ser necessária mais conversa frente a frente dos sindicalistas com o pessoal da base… Mas, infelizmente, o pessoal do sindicato sumiu das áreas do ATP-N (Araçás, Buracica e Bálsamo).

    um abraço a todos.

    cb

  24. 39 Petroleiro novembro 27, 2009 às 3:43 pm

    A falta de respeito aconteceu dos dois lados. Alguns dos punidos tentaram começaram o movimento antes da hora marcada no indicativo. Era para começar o movimento às 00:00 e eles começaram por volta das 19:00 do dia anterior.

    Pena que essas pessoas que podem até ter ideais sejam manipulados para de tal forma pelos líderes sindicais.

    Lamentável!

  25. 40 Paulo novembro 27, 2009 às 2:57 pm

    Acho um absurdo o que a Petrobras esta fazendo com esses trabalhadores, esses gerentes são hipócritas, um bando corruptos e ladrões. Onde está o presidente Lula, que não faz nada a favor dos trabalhadores!!!!! Mas para esses gerentes corruptos passa a mão na cabeça. O sindicato tem sim que colocar na mídia o que está acontecendo na Petrobras e cobrar do Lula uma posição.

  26. 41 Wagner novembro 27, 2009 às 1:29 pm

    Muito Justo. Concordo Plenamente com o Pleito dos Companheiros Contra as Punições e Perseguições.

    Mas ficaria muito mais facil para o coletivo mensurar o problema se fossem divulgados os tipos de Punições e Perseguições aplicados pela Empresa.

    Tipo: Descontar os Dias Parados na Greve dos Grevistas não é Punição, é um direito da Empresa e deve ser acordado entre a Empresa e os Sindicatos se ocorrerá quando do Final da Greve.

    Devemos Lutar se houve: Transferências sem Consulta, Mudanças de Regime, Advertências em Geral, Assedio Moral apos a Greve, Rebaixamento de Função (Posto de Trabalho), Desvio de Função, “se ocorreram os Famosos Dias de Gancho”, etc…

    Obrigado

  27. 42 Julian novembro 27, 2009 às 7:46 am

    Concordo com a opinião do Carlos,

    O que foi dito acima não deve ficar apenas aqui, os sindicatos, a FUP e a FNP devem divulgar esses casos, isso sim vai mobilizar a classe, saber o que aconteceu por tras dessas punições, os petroleiros tem que saber pelo que relamente estão lutando.
    Dizer apenas que estamos lutando pelo cancelamento de punições não ajuda a mobilizar, porque as pessoas ficam pensando “Será que a punição foi merecida ou não?”, mas mostrar o que reralmente aconteceu motiva a classe a lutar.

  28. 43 Carlos novembro 26, 2009 às 9:54 pm

    Se houve tudo isso, porque a FUP ou a FNP não divulgaram?
    Sou petroleiro, e tenho a impressão de estar sendo usado como massa de manobra dos dirigentes sindicais.
    Não sei pelo estou lutando. Só falam em punições, punições etc.. no sentido geral, não pontuam o que realmente querem…
    Claro que sempre há injustiças, disso não tenho dúvidas, mas quero que a coisa fique clara. Sabemos que os excessos ocorreram dos dois lados. Não podemos colocar juntar os que agiram legitamamente com os que agiram fora dos propósitos da greve.
    Quero estar ciente que minha luta é justa.
    FUP e FNP coloquem as coisas as claras…

    • 44 juventudepetroleira novembro 28, 2009 às 8:31 am

      Carlos

      estamos lutando desde março para retirar as punições

      • 45 Carlos novembro 28, 2009 às 10:40 am

        Então colega, estavam lutando sozinhos. Poucos sabiam das punições, a FUP/FNP não haviam se manifestado até começarem as discussões do ACT. Não houve LUTA, com greves e manifestações, isto deveria ter sido prioridade. Não podíamos em hipótese nenhuma ter esperado todo este tempo!! Assim que elas começaram deveríamos ter agido! O que está ocorrendo agora é um contra-censo.! Concordo com a reversão das punições, o que me revolta é que esperamos tempo demais! Há uma evidente manipulação aqui e isto não agrada a ninguem e denigre a imagem da Federação!

  29. 46 Carlos novembro 26, 2009 às 8:18 pm

    Parabéns !!

    Agora sim, a máscara da empresa vai cair, ficar dizendo que houve depredação, quebra-quebra, sabotagem é mole quando não há contra-informação.

    Eu acho que a FUP não quer mostrar a verdade e a FNP não quer falar pq a luta só aconteceu nas unidades da FUP

    Parabéns a Juventude, assim temos esperança do nosso movimento sindical consciente e independente

    • 47 Jean dezembro 13, 2009 às 2:31 pm

      @Carlos, sou da base do sindipetro NF, e faço parte da oposição à diretoria do sindicato (que é ligada ).

      As punições no NF não vieram de uma vez só, mas vieram aos poucos. Primeiro foram as transferências, a convocação de trabalhadores embarcados pra cursos que ninguém sabia quanto tempo ia durar.

      Eu mesmo, fui “transferido” e “destransferido” de minha plataforma para outra, fui informado que seria transferido pra terra, mas nada oficial, tudo pra criar aflição e intranquilidade aos que dirigiram a greve de março.

      As 89 suspensões e advertências vieram muito depois da greve, depois que as coisas haviam “esfriado”, até porque o encerramento da greve foi muito polêmico, e uma atitude dessa poderia reiniciar a greve e melar o acordo mixuruca da PLR.

      Posso garantir que nenhum dos companheiros punidos cometeu nenhum excesso (como vem sendo divulgado na campanha de boatos abjeta que vem sendo espalhada). Todos cumpriram o indicativo do sindicato e agiram de maneira pacífica. Não hoveram bate-bocas, agressões, depredações ou qualquer coisa do gênero.

      O acordo fechado pela FUP anistiou estas 89 punições no NF, mas as punições “não oficiais” foram todas mantidas.

      Nossa luta é para que todas as punições sejam retiradas, em todas as bases, porque quem merece ser punido é o gerente que assedia moralmente seus subrodinados.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





 

Este é um espaço reservado para denúncias de práticas antissindicais, assédios e ataques a direitos.

JP no Twitter

Estatísticas

  • 145,843 hits

%d blogueiros gostam disto: