Arquivo para outubro \15\UTC 2010

Trabalhadores vão às ruas contra o retrocesso e as privatizações

FUP, centrais sindicais e movimentos sociais realizam ato público dia 21, a partir das 15 horas, em frente à Petrobrás

 

Na próxima quinta-feira, 21, caravanas com petroleiros de vários estados do país seguirão para o Rio de Janeiro, onde a FUP, junto com as centrais sindicais e movimentos sociais, realizará um ato público, em frente à sede da Petrobrás, em defesa do patrimônio público e contra o projeto privatista de José Serra (PSDB/DEM). A concentração terá início às 15 horas, com participação de trabalhadores de várias categorias, estudantes, centrais sindicais e demais movimentos sociais.

“Temos consciência do que representou para o povo brasileiro o programa de privatizações e desmonte do Estado promovido pelo governo FHC/Serra do PSDB e DEM”, ressalta o coordenador da FUP, João Antônio de Moraes. “Não podemos permitir o retorno dessas ameaças ao nosso país. Este ato é para reforçar a nossa luta em defesa do Brasil, da soberania nacional sobre os nossos recursos naturais e em prol do povo brasileiro”, declara.

David Zylberstajn, assessor do candidato José Serra e responsável pelas propostas dos tucanos para o setor de energia, defende explicitamente o regime privatista de concessão dos blocos de petróleo e gás.  Ele declarou recentemente que a aliança PSDB/DEM não manterá a Petrobrás como operadora única do pré-sal e criticou o aumento da participação do Estado na empresa.  Zylberstajn presidiu a ANP no governo Fernando Henrique Cardoso/Serra e foi um dos mais ferrenhos defensores da privatização da Petrobrás. Partiu dele, por exemplo, o projeto de venda de ativos da estatal, como a entrega dos 30% da Refap e a tentativa de redução do controle da Petrobrás em outras unidades de refino, como Reduc e Fafen.

A FUP e a CUT defendem o monopólio estatal do petróleo, através da Petrobrás 100% pública, como estabelece o projeto de lei 531/2009, construído pelos movimentos sociais, que está em tramitação no Senado.  “Nossa luta é pelo restabelecimento do monopólio estatal, mas entendemos que o regime de partilha, proposto pelo atual governo, é muito superior ao das concessões. Não podemos permitir o retrocesso. A aplicação do regime de concessão em toda área do pré-sal, como ameaçam os tucanos e demos, seria um prejuízo muito grande para o país e para as futuras gerações de brasileiros”, destaca o coordenador da FUP.

O ato dos petroleiros na próxima quinta-feira, em frente à sede da Petrobrás, soma-se a várias outras manifestações que as centrais sindicais e os movimentos sociais têm organizado para denunciar as intenções privatistas de José Serra.  O projeto político dos tucanos/demos tem por base o desmonte do Estado, o ataque aos direitos trabalhistas e a criminalização dos movimentos sociais. Mais do que nunca, é preciso que as militâncias e os trabalhadores estejam nas ruas para barrar o retrocesso.

 


De onde vem as calúnias…

O jornalista Tony Chastinet fez um levantamento minucioso sobre a origem de um dos e-mails caluniosos que circulam contra a candidata Dilma Rousseff (PT). Não precisou de dinheiro, nem de ferramentas especiais. Usou basicamente o “Google”. Gastou alguns minutos e usou a experiência de quem já investigou dezenas e dezenas de picaretas em suas reportagens investigativas. Tony Chastinet descobriu que o email partiu de gente ligada à extrema-direita e a grupos neonazistas. Gente com nome, sobrenome e endereço. O jornalista apresenta as provas.

Rodrigo Vianna/Tony Chastinet

Publicado originalmente no blog Escrevinhador, de Rodrigo Vianna

Não é difícil rastrear os caminhos da boataria que atingiu Dilma Rousseff, poucas semanas antes do primeiro turno. A campanha do PT parece não ter levado a sério a ameaça. E a boataria e as calúnias prosseguem.

O jornalista Tony Chastinet – colega com quem tive o prazer de dividir o prêmio Vladimir Herzog em 2007, e com quem produzi a série de reportagens sobre as centrais clandestinas de tortura durante a ditadura – fez um levantamento minucioso sobre a origem de um desses e-mails caluniosos. Não precisou de dinheiro, nem de ferramentas especiais. Usou basicamente o “Google”. Gastou alguns minutos e usou a experiência de quem já investigou dezenas e dezenas de picaretas em suas reportagens investigativas.

Tony Chastinet descobriu que o email partiu de gente ligada à extrema-direita. Gente com nome, sobrenome e endereço. Confiram…

===

O CAMINHO DA CALÚNIA

por Tony Chastinet

Recebi ontem à noite um daqueles e-mails nojentos e anônimos, que estão circulando na internet, com calúnias contra a candidata Dilma Roussef. Decidi gastar alguns minutos para tentar identificar os autores. Consegui, e repasso abaixo as informações sobre os autores da baixaria – incluindo as fontes da pesquisa.

Há um e-mail circulando na internet com o seguinte título: “Candidatos de esquerda”. Na mensagem há uma série de calúnias contra Dilma, e o pedido para se votar no Serra. Também recomenda a leitura do site www.tribunanacional.com.br.

Entrei na página e de cara me deparei com aquela foto montada da Dilma ao lado de um fuzil. Uma verdadeira central de calúnias ligada à extrema direita. Vejam uma amostra neste link http://www.tribunanacional.com.br/v2/editorial/a-terrorista/.

O e-mail foi enviado para minha caixa postal na noite de domingo. O remetente é um tal de Ingo Schimidt (ingo@tribunanacional.com.br). O site está registrado na Fapesp em nome do “Círculo Memorial Octaviano Pinto Soares”.

Essa associação tem CNPJ (026.990.366/0001-49), está localizada na SCRN, 706-707, Bloco B, Sala 125, na Asa Norte, em Brasília. O responsável pelo site chama-se Nei Mohn. Em uma pesquisa superficial na internet, descobre-se que ele foi presidente da “Juventude Nazista” em 1968. Era informante do Cenimar e suspeito de atos de terrorismo na década de 80 (bombas em bancas de jornais e outros atentados feitos pela tigrada da comunidade de informações). Também foi investigado por falsificar o jornal da Igreja Católica, atacando religiosos que denunciavam torturas, assassinatos e desaparecimentos (vejam abaixo nas fontes).

Nunca foi investigado e sequer punido pelas barbaridades que aprontou. Para isso, contou com a proteção dos militares e da comunidade de informações para abafar os escândalos e investigações.

Prossegui na pesquisa e descobri que o filho de Nei, o advogado Bruno Degrazia Möhn trabalha para um grande escritório de advocacia de Brasília contratado por Daniel Dantas para representar o deputado federal Alberto Fraga (DEM) em ação no TCU movida pelo deputado para tentar impedir a compra de ações da BRT/OI pelos fundos de pensão.

Interessante essa ligação entre a extrema direita, nazistas e Daniel Dantas. Mas tem mais.

No registro do site ainda há outros dois nomes apontados como responsáveis pela página: Antonio Afonso Xavier de Serpa Pinto e Zoltan Nassif Korontai.

Serpa Pinto trabalha na Secretaria da Fazenda de Mato Grosso. Korontai é responsável pelo site http://www.projetovendabrasil.com.br. É um negócio estranho como pode ser visto na página da internet. Ele atua na área de tecnologia e fez concurso para analista de sistemas no TRE do Paraná.

O cadastro do site dele está em nome da CliqueHost Internet Hosting e Eletro Eletrônicos (CNPJ 008.144.575/0001-90 – Avenida Doutor Chucri Zaidan, 246, SL 18, São Paulo). O responsável chama-se Frederich Resende Soares Marinho.

Marinho é consultor de informática e trabalha em Piraúba (MG). Há uma série de reclamações de que ele vendeu hospedagens de site e não entregou o serviço. Ele é membro da Assembleia de Deus em Sorocaba.

Outro dado interessante: Ingo coloca um link no e-mail para quem não quiser mais receber as mensagens. Esse link aponta para o seguinte endereço: ingo.newssender.com.br. Newssender é um serviço de marketing eletrônico (leia-se spam) registrado e vendido pela Locaweb Serviços de Internet S/A. O curioso é que é o mesmo provedor que hospeda o site do candidato tucano.

===

Fontes:

– Tribuna Nacional – Dados do Registro.br

domínio: tribunanacional.com.br

entidade: Círculo Memorial Octaviano Pinto Soares

documento: 026.990.366/0001-49

responsável: Nei Möhn

2 – Nei Mohn

Matéria Veja de 1980 – http://www.arqanalagoa.ufscar.br/pdf/recortes/R06814.pdf

Matéria da Isto É de 1982 – http://www.arqanalagoa.ufscar.br/pdf/recortes/R03648.pdf

3 – Filho de Nei

Bruno Degrazia Möhn (OAB/DF 18.161)

Trabalha no escritório Menezes e Vieira Advogados Associados – http://www.migalhas.com.br/mostra_noticia_articuladas.aspx?cod=11457 – artigo defesa ppp

Escritório contratado por Dantas no caso BRT – http://www.anapar.com.br/noticias.php?id=6602

4 – Antonio Afonso Xavier de Serpa Pinto

Funcionário da secretaria estadual da fazenda de mato grosso

http://app1.sefaz.mt.gov.br/Sistema/Legislacao/legislacaopessoa.nsf/2b2e6c5ed54869788425671300480214/88e35b271696c3bf0425738500423ded?OpenDocument

5 – Zoltan Nassif Korontai

Site dele – http://www.projetovendabrasil.com.br/?pg=calculadora-de-ivestimento&p=253

Dados do registro.br

domínio: projetovendabrasil.com.br

entidade: CliqueHost Internet Hosting e Eletro Eletrônicos L

Norma assinada por Serra orientava sobre como fazer o aborto

Observação: é evidente que a norma é defensável sobre todos os aspectos e destinava-se a colocar em prática a lei. A nota é importante apenas para mostrar a hipocrisia da exploração política.
Em novembro de 1998, o então Ministro da Saúde José Serra assinou uma Norma Técnica da sua pasta implantando o atendimento na rede SUS de toda mulher, vítima de violência sexual, interessada em praticar o aborto.
O Manual descreve as técnicas a serem utilizadas:
Até 12 semanas, o médico poderá optar pelo esvaziamento da cavidade uterina, de cordo com dois métodos. O primeiro, a dilatação do colo uterino e a curetagem. O segundo, a aspiração manual, além de um jogo de dilatadores anatômicos, seringas com vácuos. “A técnica consiste em dilatar o colo uterino até que fique compatível com a idade gestacional. Introduz-se a cânula correspondente e se procede à aspiração da cavidade uterina, tomando-se o cuidado de verificar o momento correto do término do procedimento, ocasião esta em que se sente a aspereza das paredes uterinas, a formação de sangue espumoso e o enluvamento da cânula pelo útero, e em que as pacientes sob anestesia paracervical referem cólicas”.
Na apresentação da norma “PREVENÇÃO E TRATAMENTO DOS AGRAVOS RESULTANTES DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA MULHERES E ADOLESCENTES”, Serra trata o aborto, nessas circunstâncias, como um direito da mulher.

I – APRESENTAÇÃO

As mulheres vêm conquistando nas últimas décadas direitos sociais que a história e a cultura reservaram aos homens durante séculos. no entanto, ainda permanecem relações significativamente desiguais entre ambos os sexos, sendo o mais grave deles a violência sexual contra a mulher.

É dever do Estado e da Sociedade civil delinearem estratégias para terminar com esta violência. E, ao setor saúde compete acolher as vítimas, e não virar as costas para elas, buscando minimizar sua dor e evitar outros agravos.

O braço executivo das ações de saúde no Brasil é formado pelos estados e municípios e, é a eles que o Ministério da Saúde oferece subsídios para medidas que assegurem a estas mulheres a harmonia necessária para prosseguirem, com dignidade, suas vidas.

José Serra

Ministro da Saúde

Embora defensável do ponto de vista de saúde pública, a Norma mereceu uma condenação enfática da 45a Reunião Ordinária da  Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Excelentíssimo Sr. Dr. José Serra

Ministro da Saúde

Senhor Ministro,

Em nome do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, reunido em Brasília/DF, de 22 a 25 deste mês, venho manifestar nosso apreço pelas iniciativas em tornar os medicamentos mais acessíveis à população brasileira. Merece destaque o congelamento do preço dos remédios até o fim do ano corrente.

Não podemos, porém, deixar de expressar nossa rejeição à assinatura, em 9 de novembro de 1998, da Norma Técnica “Prevenção e Tratamento dos Agravos Resultantes da Violência Sexual contra Mulheres e Adolescentes”, a qual instrui os Hospitais do SUS a praticarem aborto em crianças de até cinco meses de vida, que tenham sido geradas em um estupro. Como pastores da Igreja, entendemos que é nossa missão trabalhar sempre em favor da vida, e que a criança concebida tenha sua vida tão respeitada quanto a vida da mulher violentada.

Em defesa da “cultura da vida” e da consciência ética, tão defendida pela Igreja, que qualificou o aborto de “crime abominável”, solicitamos a revogação imediata de tal Norma Técnica, ao mesmo tempo que pedimos assistência prioritária às vítimas de violência sexual. Dispomo-nos a fazer o que estiver a nosso alcance para assistir as mulheres estupradas, sem, porém, jamais atentarmos contra a vida do nascituro.

Pelo Conselho Permanente da CNBB

Dom Raymundo Damasceno Assis

Secretário Geral da CNBB

Brasília, 25 de agosto de 2000.

Causa espécie que Serra engrosse, agora, o coro dos que pretendem condenar Dilma Rousseff por uma opinião sobre uma política implementada pelo próprio Serra.

Imprensa em campanha: 84% das manchetes do OESP, FSP e O Globo em setembro foram para tentar eleger Serra

A mídia comercial conservadora, ou PIG (Partido da Imprensa Golpista), como é mais conhecida, saiu a grita quando setores da sociedade protestaram contra a campanha que esses veículos fazem para seus candidatos, rasgando qualquer princípio ético.
A revista Veja pulou feito pipoca, deu capa acusando Lula e o PT de agirem contra a liberdade de imprensa etc. e tal. Os jornais Folha de S.Paulo, O Globo e o Estado de S.Paulo seguiram a mesma toada. O Estadão lançou editorial assumindo o apoio a José Serra, mas ressaltou sua “independência” editorial. Será?
A tecla que os movimentos sociais martelam (e, eventualmente, foiçam) é que a imprensa golpista utiliza seus veículos para fazer campanha em vez de jornalismo isento. O que é básico na democracia (imprensa isenta) vira ataque de “autoritarismo” nas páginas de veículos comprometidos com o latifúndio, o agronegócio, as negociatas de multinacionais, políticos conservadores e os mais rasteiros preconceitos de classe.
E não é preciso ir muito a fundo para verificar que o PIG brasileiro faz campanha, sim, em vez de jornalismo. Fui verificar nas edições de O Estado de São Paulo como se traduz a prática do “bom jornalismo” e “isenção” propalada pelo diário da família Mesquita.
Pesquisei as manchetes de quatro meses do Estadão (junho a setembro de 2010), atentando apenas à manchete principal. Separei tais manchetes em três segmentos: as de apoio à candidatura tucana (ou contra o governo Lula); as isentas; e as de apoio à candidatura Dilma (ou favoráveis ao governo).

Eis o resultado


Em junho, 17 manchetes podem ser consideradas neutras, nove a favor de José Serra (cerca de 30%) e três creditadas para a “coluna Dilma” (10%). Cumpre ressaltar que as manchetes favoráveis à campanha petista diziam respeito apenas às pesquisas eleitorais, como a do dia 24 daquele mês (“Ibope mostra Dilma à frente de Serra pela primeira vez”); editorialmente muito diferente da publicada em 13 de junho (“Candidato oficial, Serra ataca os ‘neocorruptos’”).
Em julho, o Estadão dedicou 13 manchetes favoráveis a Serra (43%), 16 isentas e 1 favorável à campanha Dilma. Em agosto, quando a campanha de Dilma já se mostrava francamente em vantagem, o Estadão ampliou sua participação na campanha tucana dedicando-lhe 16 manchetes (53,3%), contra 2 favoráveis a Dilma e 13 isentas.
Aí chegou setembro e o PIG entrou em completo desespero. A família Frias dedicou em sua imparcial Folha de S.Paulo 22 manchetes que favoreciam a candidatura Serra (73,3%) contra 7 isentas e 1 a favor de Dilma. O Estadão, firme em sua trajetória de apoio, dedicou 26 (86,6%) das 30 manchetes para favorecer seu candidato, 3 isentas e 1 (novamente apenas dados de pesquisa) que favorecia a candidatura Dilma. O campeão, entretanto, foi o O Globo, que dedicou 28 manchetes (93,3%) para tentar alavancar a candidatura tucana e 2 isentas. O jornal da família Marinho protagonizou, no último mês de campanha, pérolas do jornalismo como as seguintes manchetes:
– Serra reage e diz que Lula serve à estratégia ‘caixa-preta’ do PT (9 de setembro)
Serra: Lula deixa roubar’ e Dilma é ‘envelope fechado’ (11 de setembro)
Dirceu: PT terá mais poder com Dilma do que com Lula (15 de setembro)

Em 30 dias de setembro tivemos nos três maiores jornais do país 76 manchetes (84,4%) a favor de Serra e DUAS para a candidata Dilma. Somem-se a isso as capas e matérias da Veja, da Isto É, da Época, as matérias no miolo desses jornais, as colunas de articulistas, blogs etc. De fato, o PIG não faz campanha.

Confira as manchetes de setembro dos jornais FSP, OESP e O Globo

01 de setembro de 2010
O Globo Lula deixa para o sucessor orçamento com mais gastos
Folha de S. Paulo Dado da filha de Serra foi acessado na Receita
O Estado de S. Paulo Governo usa ‘truques’ para garantir meta de contas públicas

02 de setembro de 2010
O Globo Fraudes em série levam à quebra do sigilo fiscal da filha de Serra
Folha de S. Paulo Sigilo fiscal da filha de Serra foi violado com procuração falsa
O Estado de S. Paulo Receita tentou abafar violação do sigilo fiscal da filha de Serra

03 de setembro de 2010
O Globo PF investiga se sigilo foi violado também no BB
Folha de S. Paulo Serra diz ter feito alerta a Lula sobre ataques a sua filha
O Estado de S. Paulo Receita já suspeitava de violação política

04 de setembro de 2010
O Globo
Contador estava no PT quando acessou sigilo da filha de Serra
Folha de S. Paulo Dado sigiloso da filha de Serra foi obtido por filiado ao PT
O Estado de S. Paulo Dilma para de subir, e Serra, de cair

05 de setembro de 2010
O Globo Ministros casam agendas com campanha de Dilma
Folha de S. Paulo Consumidor de luz pagou R$ 1 bi por falha de Dilma
O Estado de S. Paulo Investigação de violação de sigilo na Receita blinda Dilma

06 de setembro de 2010
O Globo Sigilo de tucano foi quebrado em MG por outro filiado ao PT
Folha de S. Paulo Dado de vice tucano foi aberto por petista em MG
O Estado de S. Paulo Violador de IR de tucano em Minas também é filiado ao PT

07 de setembro de 2010
O Globo TRE desmente PT e diz que contador não foi desfiliado
Folha de S. Paulo TRE desmonta a versão do PT sobre falso procurador
O Estado de S. Paulo Serra diz que Lula fez deboche com quebra de sigilo na Receita

08 de setembro de 2010
O Globo Lula ignora denúncias e diz que a oposição faz baixaria
Folha de S. Paulo Lula vai à TV e afirma que Serra partiu para ‘baixaria’
O Estado de S. Paulo Lula vai à TV defender Dilma após escândalo

09 de setembro de 2010
O Globo
Serra reage e diz que Lula serve à estratégia ‘caixa-preta’ do PT
Folha de S. Paulo Escândalo da Receita: Investigada consultou dados do genro de Serra
O Estado de S. Paulo Genro de Serra teve sigilo fiscal violado

10 de setembro de 2010
O Globo
Marina: Lula defende Dilma, mas esquece os cidadãos
Folha de S. Paulo Empresas do país captam US$ 6 bilhões no exterior
O Estado de S. Paulo Governo usa capitalização da Petrobras para fechar contas

11 de setembro de 2010
O Globo
Serra: Lula deixa roubar’ e Dilma é ‘envelope fechado’
Folha de S. Paulo Governador do Amapá e antecessor são presos
O Estado de S. Paulo PF prende políticos aliados de Lula e Sarney no Amapá

12 de setembro de 2010
O Globo
Receita demitiu 81 servidores em 3 anos por irregularidades
Folha de S. Paulo Onda governista puxa mais 3 rumo ao Senado
O Estado de S. Paulo PF filmou funcionários do governo do Amapá recebendo propina

13 de setembro de 2010
O Globo Filho de ex-braço direito de Dilma trabalhou no governo
Folha de S. Paulo Dilma se distancia de Erenice e chama Serra de caluniador
O Estado de S. Paulo Irmã de ministra deu aval a contrato sem licitação com governo

14 de setembro de 2010
O Globo Mesmo no governo, Erenice foi dona de duas empresas
Folha de S. Paulo Presidente 40 Eleições 2010: Lula mantém Erenice no cargo e exonera assessor
O Estado de S. Paulo Governo demite assessor de Erenice para conter escândalo

15 de setembro de 2010
O Globo Dirceu: PT terá mais poder com Dilma do que com Lula
Folha de S. Paulo Caso Erenice põe o governo na ofensiva e partidos batem boca
O Estado de S. Paulo Lula comanda reação do governo para blindar Erenice

16 de setembro de 2010
O Globo
Caixa terá de pagar R$ 500 mil a caseiro que derrubou Palocci
Folha de S. Paulo Filho de Erenice pediu 5% por crédito do BNDES, diz empresa
O Estado de S. Paulo Inquérito da PF contraria tese de crime político na Receita

17 de setembro de 2010
O Globo
Denúncia que atinge campanha de Dilma faz Lula tirar Erenice
Folha de S. Paulo Presidente 40 Eleições 2010: Novas acusações derrubam ex-braço direito de Dilma
O Estado de S. Paulo Escândalo na Casa Civil cresce e derruba Erenice

18 de setembro de 2010
O Globo Só agora o governo vai punir Erenice por não revelar bens
Folha de S. Paulo Filho de Erenice ‘nomeou’ amigos para a pasta de Dilma
O Estado de S. Paulo Comissão de ética só agora pune Erenice por esconder parentes

19 de setembro de 2010
O Globo
Projeto que pune tráfico de influência parou no Planalto
Folha de S. Paulo Dilma diz que não sabia de esquema na Casa Civil
O Estado de S. Paulo Diretor dos Correios monta esquema no transporte aéreo

20 de setembro de 2010
O Globo
Denúncia de favorecimento na Casa Civil derruba diretor dos Correios
Folha de S. Paulo Planalto manda TV estatal filmar comícios de Dilma
Estado de S. Paulo Após denúncia, Correios anunciam demissão de diretor

21 de setembro de 2010
O Globo Em defesa de Erenice – Dilma: ‘Ninguém sabe tudo o que acontece na família’
Folha de S. Paulo USP vai reavaliar currículos e pode eliminar cursos
O Estado de S. Paulo Lula chama Paulo Bernardo para conter crise nos Correios

22 de setembro de 2010
O Globo Após lotear Correios, governo corre contra apagão postal
Folha de S. Paulo Falha para metrô, provoca pânico e prejudica 150 mil
O Estado de S. Paulo TV de Lula contrata empresa que emprega filho de Franklin

23 de setembro de 2010
O Globo
Dois novos casos com parentes atingem o Palácio do Planalto
Folha de S. Paulo Com escândalos, cai vantagem de Dilma, mostra o Datafolha
O Estado de S. Paulo Manifesto ataca ‘autoritarismo’ de Lula

24 de setembro de 2010
O Globo
Lula diz que pode ter sido enganado no caso Erenice
Folha de S. Paulo Petrobras conclui maior venda de ações da história
O Estado de S. Paulo Megacapitalização pode por R$ 50 bi no caixa da Petrobras

25 de setembro de 2010
O Globo Julgamento de Ficha Limpa no STF pode voltar à estaca zero
Folha de S. Paulo Impasse no Ficha Limpa põe 171 candidatos em suspenso
O Estado de S. Paulo Serra e Marina sobem, mas Dilma ainda vence no 1º turno

26 de setembro de 2010
O Globo Mais de 2 mil municípios do país são subdesenvolvidos
Folha de S. Paulo Presidente 40 Eleições 2010: PT repete os erros do mensalão, diz Marina
O Estado de S. Paulo Serra mira S. Paulo, Minas e Rio; Dilma aposta mais na TV

27 de setembro de 2010
O Globo De olho no segundo turno, Marina ataca Dilma e Serra
Folha de S. Paulo Presidência incha no governo Lula
O Estado de S. Paulo Notícia sobre falcatruas no TO põe ‘Estado’ sob censura

28 de setembro de 2010
O Globo
Chávez perde maioria absoluta no Congresso
Folha de S. Paulo Dilma cai em todas as regiões e crescem as chances de 2º turno
O Estado de S. Paulo Chávez sai enfraquecido das urnas na Venezuela

29 de setembro de 2010
O Globo
Em queda, Dilma pede PT nas ruas e evita briga com Marina
Folha de S. Paulo Dilma tenta frear perda de voto com apelo à militância
O Estado de S. Paulo Chance de 2° turno altera estratégias das campanhas

30 de setembro de 2010
O Globo Aborto opõe Marina a Dilma e esquenta guerra de candidatas
Folha de S. Paulo Dilma interrompe queda
O Estado de S. Paulo Polêmica do aborto faz Dilma se explicar a líderes cristãos

Um balanço inicial do primeiro turno

Por Emir Sader – artigo originalmente publicado na Agência Carta Maior

A esquerda teve o melhor resultado eleitoral de sua história: Dilma em primeiro lugar, governadores no Rio Grande do Sul, na Bahia, em Pernambuco, no Ceará, no Espírito Santo, Sergipe, Acre, boas possibilidades no Distrito Federal, possibilidades ainda no Pará, limpa impressionante e renovação com grande bancada no Senado, maiores aumentos nas bancadas parlamentares na Câmara.

A frustração veio da expectativa criada pelas pesquisas de uma eventual vitória no primeiro turno para presidente. Uma análise mais precisa é necessária, a começar pelo altíssimo numero de abstenções e também dos votos nulos e brancos que, somados, superam um quarto do eleitorado. Mas também dos efeitos das campanhas de difamação – sobre o aborto, luta contra a ditadura, etc., assim como o efeito que o caso da Erenice efetivamente teve para diminuir o resultado final da Dilma.

A votação da Marina certamente influenciou. A leitura desse eleitorado é complexa, nem de longe se trata de onda ecológica no Brasil – as outras votações dos verdes foram inexpressivas. Juntaram-se varias coisas, desde votos verdes, esquerda light, até votos anti-Dilma, votos desencantados com o Serra, entre outros. Mas o montante alto requer uma análise mais precisa.

Para o segundo turno contam esses votos: mais da metade concentrados em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, além do DF, onde ela ficou em primeiro lugar. Qualquer que seja a decisão de apoio no segundo turno – a convocação de assembléias para definir deve confirmar a tendência a abstenção, tornando mais difícil a operação política da direção de apoiar Serra -, esse eleitorado se orientará, em grande medida, não pela decisão partidária, ficando disponível para os outros candidatos. Em 2006, nem o PSol conseguiu que seus votos deixassem de ir para outros candidatos, desobedecendo a orientação do voto em branco.

É uma ilusão considerar que o segundo turno é outra eleição. É a continuação do primeiro, em novas condições – de bipolarização. A campanha deve ser dirigida diretamente por Lula, deve ser centrada na comparação dos governos do FHC e do Lula, deve ter uma estratégia específica para o eleitorado da Marina e deve multiplicar os comícios e outros atos de massa – um diferencial importante entre as duas candidaturas.

Em 2006 o segundo turno foi muito importante para dar um caráter mais definido à polarização com os tucanos, o mesmo deve se dar agora. Que ele multiplique a votação e a mobilização, para tornar mais forte ainda a vitória da Dilma. Ela é favorita, mas devemos precaver-nos das manobras dos adversários, do uso da imprensa, das campanhas difamatórias.

Pode ser um segundo turno de polarização mais clara também, porque os debates diluíam os temas, na medida em que havia um coro de 3 candidatos colocando ênfase nas denúncias. Não soubemos colocar como agenda central o fato de que o Brasil se tornou menos injusto, menos desigual, com Lula, e que esse é o caminho central a seguir.

Outros temas do primeiro turno abordaremos em outros artigos. Este é para abrir a discussão com todos.



 

Este é um espaço reservado para denúncias de práticas antissindicais, assédios e ataques a direitos.

JP no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Estatísticas

  • 152,469 hits