Petrobrás altera de forma unilateral regras para avanço de nível e promoção

Em mais uma demonstração de desrespeito à categoria petroleira e suas representações, a Petrobrás divulgou para os trabalhadores uma nova política de avanço de nível e promoção. São alterações unilaterais no Plano de Cargos feitas pela empresa, às vésperas da mobilização nacional da categoria por uma PLR transparente e sem privilégios. O objetivo dos gestores da Petrobrás é tentar desmobilizar os trabalhadores contra o surbônus. Apesar de não tratar a nova política de avanço de nível anunciada como uma reformulação do PCAC, as mudanças feitas unilateralmente pela empresa afetam, sim, o plano de cargos e reafirmam a necessidade de abertura de um novo processo de negociação com as representações sindicais. Em vários fóruns com as gerências de RH, a FUP há muito tempo vem cobrando isso, deixando claro que os trabalhadores têm propostas de melhorias para o plano de cargos.

Esta questão foi, inclusive, tratada pela FUP na reunião que teve recentemente com o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli. Os dirigentes sindicais cobraram a reformulação de algumas carreiras, aceleração da progressão salarial, redução do intervalo de tempo para o avanço automático de nível, entre outras reivindicações da categoria. As alterações propostas pela FUP e seus sindicatos para o PCAC são as mesmas que foram apresentadas durante a construção do novo plano de cargos, mas que foram rejeitadas na época pela empresa.

A nova política de distribuição de níveis e promoção anunciada pela Petrobrás, além de não ter sido discutida com as representações sindicais, concentra ainda mais poder para as gerências na avaliação do trabalhador e aumenta o grau de subjetividade do processo, o que é um retrocesso, já que a categoria conquistou no novo PCAC regras claras e objetivas, justamente para evitar que a progressão salarial seja baseada em critérios pessoais dos gerentes. Portanto, está clara a intenção dos gestores da Petrobrás de acirrar a disputa com o movimento sindical, numa tentativa de desmobilizar as lutas dos trabalhadores, principalmente no que diz respeito à PLR. Não é à toa que a empresa anunciou que irá acelerar o avanço automático de níveis para os trabalhadores situados na categoria júnior. Esses trabalhadores são justamente os que recebem o piso da PLR e, portanto, aqueles que mais motivos têm para lutar por uma melhor e mais justa distribuição dos lucros construídos pela categoria.

A hora, portanto, é de intensificar a luta e construir uma grande mobilização no dia 27, deixando claro para a Petrobrás, que com surbônus, não tem acordo. A FUP também está orientando os sindicatos a pressionarem as gerências locais para que o processo de avanço de nível e promoção seja transparente, com critérios claros e objetivos, evitando que os “amigos do rei” continuem sendo agraciados, em detrimento dos demais trabalhadores.

Anúncios

5 Responses to “Petrobrás altera de forma unilateral regras para avanço de nível e promoção”


  1. 1 CAMPINA outubro 12, 2011 às 12:10 pm

    Penso que como na RMNR, o caminho são os processos individuais para deixar maluco o juridico da empresa, deixando para a FUP, o caminho aberto e mais facil para discutir na mesa, com a categoria fazendo uma pressão juridica e se possivel com boas mobilizações apartir do dia19/10/2011.

  2. 2 Antonio Carlos dos Santos Filho agosto 13, 2011 às 11:26 pm

    Se a FUP e os sindicatos a ela afiliados negociarem outros assuntos com a Petrobras, como por exemplo a participação de um empregadono Conselho de Administração, antes de acertar a questão da PLR e dessa medida absurda de aceleração de juniores, que divide a categoria, jogando na lata do lixo anos de dedicação dos empregados antigos, proponho uma desfiliação em massa desses sindicatos. Essas medidas que a Petrobras vem tomando é apenas a ponta do iceberg, uma vez que existe determinação do governo para a empresa edurecer na negociação de setembro e negar reajuste salarial com ganhos acima da inflação aos seus empregados, tanto em 2011 quanto em 2012. Nas campanhas salariais, a proposta será apenas a reposição da inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A FUP e os sindicatos afiliados precisam cumprirem os seus papéis e não negociar nada com a empresa, antes que sejam sanadas todas as pendências. Fiquem de olhos abertos companheiros petroleiros!

  3. 3 Antonio Carlos dos Santos Filho agosto 13, 2011 às 11:08 pm

    “Os cabeças coroadas” do RH da Petrobras estão querendo aumentar o piso salarial dos empregados, uma vez que os jovens não estão interessados nas vagas da empresa e muitos desavisados que concorrem a uma delas se decepcionam e pedem demissão. Outros aproveitam a empresa como trampolim para outras empresas de petróleo que valorizam seus empregados, sobretudo os que têm experiência. Enquanto isso a Petrobras joga na lata do lixo a experiência e a dedicação de empregados com mais de 20 anos na empresa, que pela péssima gestão do RH culminado com a decisão de gerentes incompetentes e mau intencionados, são marginalizados e ainda encontram-se posicionados no início da faixa de PLENOS. Com essa nefasta medida, o incompetente RH da Cia tenta igualar os sem experiência com os empregados que construíram a grandeza da Petrobras.
    Com certeza vamos reagir!

  4. 4 paulo julho 24, 2011 às 7:15 pm

    esses nivel so pra quem é junior e os outros cargos como assistente de serviço de apoio q apetrobras arranjou esse cargo para os anistiados eles nao tem direitos nao.isso e uma vergonha

  5. 5 joao da silva julho 23, 2011 às 3:38 pm

    É no mínimo temeroso que aconteca a referida mudanca sem a previa consulta sindical. Ora, a empresa esta alterando unilateralmente tanto contrato de trabalho quanto acordo coletivo de trabalho. Haviam regras que estao sendo mudadas. Pior, a alteracao de niveis é seletiva e injusta. Iguala empregados que sáo diferenciados. Um absurdo. Se o avanco de nivel fosse igual para todos, nada a declarar. Se fosse ao menos igual para todos os juniores, tudo bem, mas dar dois avancos de nivel para quem acabou de entrar e um para quem ja estava na empresa é nao dar valor aos que estavam na empresa e receberam avanco de nivel por merito (ou seja bons empregados pelas regras da propria empresa). Veja bem, independente se o sujeito for bom ou mal empregado hoje, desde que tenha entrado, ganha dois niveis. o sujeiot que ja esta na empresa ganha um… náo dá nem pra dizer que é discriminatoria. É absurda.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





 

Este é um espaço reservado para denúncias de práticas antissindicais, assédios e ataques a direitos.

JP no Twitter

Estatísticas

  • 151,538 hits

%d blogueiros gostam disto: