Arquivo para março \25\UTC 2010

P-36 Uma Lição que a Petrobrás insiste em ignorar

Naufrágio P-36

Nove anos se passaram e as mortes no Sistema Petrobrás continuam acontecendo.

Até quando os trabalhadores terão suas vidas ceifadas para que se cumpra o que já está no papel.

Abaixo o link de matéria sobre a P-36 realizada em 15/05 no heliporto do farol de São Thomé.

http://in360.globo.com/rj/noticias.php?id=8388

´´Sejam sempre capazes de sentir profundamente qualquer injustiça praticada contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. Essa é a qualidade mais linda de um revolucionário.´´

Che Guevara


Anúncios

Rede de comunicadores cria blog contra a criminalização dos movimentos sociais

Na última quinta-feira, 18,  foi lançado um blog da rede de comunicadores em apoio à reforma agrária e contra a criminalização dos movimentos sociais.

Um dos objetivos editoriais do blog é acompanhar os trabalhos da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), instalada no final do ano passado por imposição da bancada ruralista que visa criminalizar os que lutam por terra no país. A nova página também servirá para divulgar experiências bem sucedidas de reforma agrária, de assentamentos rurais e de agricultura familiar, que a mídia privada omite. Ela terá sessões fixas, como o raio-x do latifúndio, impactos do agronegócio, quem apóia a reforma agrária, entre outras.

Para conferir, acesse http://www.reformaagraria.blog.br/

FUP cobra pendências do Acordo Coletivo

Nesta quinta-feira, 18, a FUP cobrou da Petrobrás várias questões ainda pendentes em relação à implementação do Acordo Coletivo de Trabalho 2009/2011. As reivindicações dos trabalhadores foram discutidas na Comissão de Acompanhamento do ACT. Na segunda-feira, dia 22, haverá reunião da Comissão de Regimes de Trabalho e na terça-feira, 23, da Comissão de Terceirização. Veja abaixo os principais pontos discutidos:

BPO – a FUP ressaltou o prazo de 120 dias previsto no ACT para introdução do Benefício Proporcional Opcional (BPO) no Regulamento do Plano Petros. A Federação criticou a Petrobrás por ter definido unilateralmente a forma como será implementado o BPO, sem discussão prévia com os representantes dos trabalhadores.  A FUP frisou ainda que o participante deve ter a garantia de que as contribuições para o plano continuarão sendo feitas até que a adesão ao BPO seja definitiva. A Petrobrás declarou que irá avaliar esta reivindicação e informou que a abertura do BPO ainda depende de pendências relacionadas a problemas nos sistemas de informações da empresa e da Petros e dos trâmites legais.

Inscrição tardia na Petros – a FUP cobrou o ingresso imediato de ex-participantes e seus dependentes no Plano Petros (cláusulas 33 e 45 dos ACTs 1985 e 1986), resolvendo uma pendência histórica de petroleiros que lutam há 25 anos pelo direito à previdência complementar. A Petrobrás informou que está priorizando neste momento a implantação do BPO e que as demais questões do Acordo Coletivo relacionadas à Petros serão resolvidas posteriormente.

Plano Petros 2 na Transpetro – a FUP cobrou informações sobre o andamento da implantação do PP-2 na Transpetro. O RH da subsidiária informou que a adesão ao Plano Petros-2 já foi aprovado formalmente pela diretoria da Transpetro e já realizou reuniões com a Petros para definir como será a sua implementação.  O próximo passo será a aprovação do Plano nas esferas governamentais. A Petrobrás Transportes divulgará todo este cronograma aos trabalhadores.

Pendências na TBG: PP-2 e AMS – a FUP cobrou informações sobre a implantação do Plano Petros-2 e da AMS para os trabalhadores da TBG, conforme acordado com os sindicatos e a Federação. A TBG informou que apresentará nas próximas semanas um cronograma para implantação destes dois benefícios.

Anistia – a FUP voltou a cobrar agilidade da Petrobrás na tramitação dos requerimentos de anistiados da Petromisa, Interbrás, Petroflex e Nitriflex. O RH informou que já convocou a grande maioria dos 231 anistiados que tiveram os requerimentos deferidos pela comissão interministerial de anistia (CEI). A empresa detalhou que 92 destes trabalhadores são anistiados da Petroflex, 91 da Interbrás, 44 da Petromisa, 02 da Petrobrás e 02 da BR. Segundo a Petrobrás, somente 03 anistiados ainda aguardam publicação em Diário Oficial para serem convocados pela empresa.

Benefício educacional – a FUP cobrou a atualização da tabela de reembolso dos benefícios educacionais, destacando que os valores referentes ao Programa Jovem Universitário devem ser definidos após uma pesquisa específica, pois os custos com o ensino superior são normalmente mais elevados. A Petrobrás vai avaliar o pleito.

Dias parados na greve de março/2009 – a FUP cobrou que a Petrobrás respeite a opção do trabalhador querer receber ou não os dias parados, já que serão compensados. A empresa informou que consultará os trabalhadores em relação a esta questão.

PLR – a FUP tornou a cobrar uma proposta da Petrobrás para o regramento das PLRs futuras e também em relação ao pagamento da PLR 2009. O RH informou que apresentará ainda em março uma proposta de regramento das PLRs futuras, após a diretoria da empresa aprovar os indicadores e metodologia propostos. Em relação à PLR 2009, a Petrobrás apresentará sua proposta após a divulgação do balanço da empresa relativo a 2009.

Reunião de AMS

Nesta quarta (17/03), A Federação Única dos Petroleiros se reuniu com a Petrobras para tratar de questões referentes a AMS. Dentre os diversos pontos abordados, nosso BLOG destaca a defesa pela inclusão dos pais dos empregados contratados pós 97 no benefício AMS.

Esse já pode ser considerado um pleito histórico desta federação, mas que infelizmente vem sendo sistematicamente negado pela empresa.

Dessa forma, a FUP exigiu que a empresa apresente os custos da utilização do benefício pelo grupo pré 97, que possui regras específicas e limitadoras. Argumentamos que não podemos aceitar a negativa, sem que haja se quer um estudo da projeção do impacto no plano.

Chega de enrolação, vamos colocar as cartas na mesa e resolver a questão!!!

Reunião da Comissão de AMS

Jornalista denuncia plano midiático contra Lula, Dilma e o PT

O PT é um partido sem mídia…
O PSDB é uma mídia com partido.

Em texto reproduzido no blog Escrivinhador, o jornalista Mauro Carrara denuncia um suposto plano midiático intitulado “Tempestade no Cerrado” que, segundo ele, está sendo implementado pelos principais meios de comunicação do país contra o governo Lula, a pré-candidata Dilma Rousseff e o Partido dos Trabalhadores. Ao final do texto ele sugere “cinco tarefas” aos internautas para responder aos ataques da direita.

São cinco as tarefas imediatas…

1)     Cada cidadão deve estabelecer uma rede com um mínimo de 50 contatos e, por meio deles, distribuir as versões limpas dos fatos. Nesse grupo, não adianda incluir outros engajados. É preciso que essas mensagens sejam enviadas à Tia Gertrudes, ao dentista, ao dono da padaria, à cabeleireira, ao amigo peladeiro de fim de semana. Não o entupa de informação. Envie apenas o básico, de vez em quando, contextualizando os fatos.

2)     Escreva diariamente nos espaços midiáticos públicos. É o caso das áreas de comentários da Folha, do Estadão, de O Globo e de Veja. Faça isso diariamente. Não precisa escrever muito. Seja claro, destaque o essencial da calúnia e da distorção. Proceda da mesma maneira nas comunidades virtuais, como Facebook e Orkut. Mas não adianta postar somente nas comunidades de política. Faça isso, sem alarde e fanatismo, nas comunidades de artes, comportamento, futebol, etc. Tome cuidado para não desagradar os outros participantes com seu proselitismo. Seja elegante e sutil.

3)     Converse com as pessoas sobre a deturpação midiática. No ponto de ônibus, na padaria, na banca de jornal. Parta sempre de uma concordância com o interlocutor, validando suas queixas e motivos, para em seguida apresentar a outra versão dos fatos.

4)     Em caso de matérias com graves deturpações, escreva diretamente para a redação do veículo, especialmente para o ombudsman e ouvidores. Repasse aos amigos sua bronca.

5)     Se você escreve, um pouquinho que seja, crie um blog. É mais fácil do que você pensa. Cole lá as informações limpas colhidas em bons sites, como aqueles de Azenha, PHA,Grupo Beatrice, entre outros. Mesmo que pouca gente o leia, vai fazer volume nas indicações dos motores de busca, como o Google. Monte agora o seu.

A guerra começou

Não seja um desertor

http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/carrara-a-midia-e-a-tempestade-no-deserto-e-guerra

Acidente da P-36 completa 9 anos

No próximo dia 15 de março, o acidente da P-36, que matou 11 petroleiros e causou grande desastre ambiental, completa  9 anos. Assista aos VT’s do Sindipetro-NF, com depoimentos  da viúva de uma das vítimas e de um petroleiro que sofreu acidente em outra plataforma, P-37.

Governo lança Portal Interativo

Desde o dia 03 de março de 2010, o Brasil tem um novo Portal de internet, www.brasil.gov.br, concebido para oferecer serviços, cultura, informações e aproximar o Estado do cidadão. O Portal foi desenhado para alterar os atuais parâmetros da comunicação digital no âmbito do Poder Executivo Federal, de modo a tornar-se ferramenta em contínuo aprimoramento, tanto na publicação de conteúdo quanto na interação com o usuário. Mais de 500 serviços estão disponíveis para os cidadãos.

A reformulação do Portal Brasil, coordenado pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom), é resultado de um processo de trabalho que levou cerca de três anos. A Empresa Brasileira de Comunicação e Produção LTDA (Grupo TV1) venceu a licitação em fevereiro de 2009 e ficou com a missão de desenvolver a estratégia digital para atender aos objetivos de comunicação estabelecidos pela Secom. A implementação do projeto envolveu mais de 200 pessoas com perfil multidisciplinar, incluindo profissionais de conteúdo, arquitetura de informação, webdesign, programação, produção de vídeo e infografismo, entre outros. O contrato entre a Secom e o Grupo TV1 foi assinado em março de 2009 e prevê investimentos de até R$11 milhões em um ano (março/09 a março10).

Um Portal feito por brasileiros – O Portal Brasil foi concebido para uma plataforma interativa de presença digital do Estado brasileiro. Trata-se de um agregador e organizador de conteúdos antes dispersos.  Uma porta de entrada para acesso a serviços e informações de forma rápida, ágil e didática. O aspecto inovador encontra-se na possibilidade de contínuo crescimento, em conformidade com as necessidades surgidas por inovações tecnológicas ou por demanda dos usuários. Entre as premissas principais que nortearam a elaboração do Portal estão a migração, no que diz respeito à interatividade, da web 1.0 para web 2.0; organização das informações; melhoria da acessibilidade; segmentação dos públicos; fortalecimento da imagem institucional do país e, por fim, influenciar a tomada de decisão de estrangeiros pelo Brasil. Ou seja, ser uma ponte de atração de investidores estrangeiros em potencial para o mercado brasileiro.

Em sua primeira fase de implementação, o Portal Brasil apresenta 12 áreas de conteúdos temáticos: cidadania, saúde, educação, o Brasil, cultura, economia, esporte, geografia, história, meio ambiente e turismo. No início, serão oferecidos conteúdos segmentados para trabalhadores, estudantes, empreendedores e imprensa. Há previsão para estendê-los às crianças, idosos, servidores públicos, mulheres e outros públicos.



 

Este é um espaço reservado para denúncias de práticas antissindicais, assédios e ataques a direitos.

JP no Twitter

Estatísticas

  • 153,651 hits