Archive for the 'ACT 2009' Category

Relembrar é viver: Quem comemorou a RMNR em 2007 ?

Temos recebido várias manifestações sobre a questão da RMNR. É importante relembrar o histórico da RMNR. Em 2007 houve uma grande batalha pelo PCAC e muitos dos que hoje atacam o reajuste em RMNR foram favoráveis.

Retrospectiva 2007 do Sindipetro RJ exalta a RMNR!

Acesse aqui o Jornal do Sindipetro RJ

Anúncios

O que os petroleiros reivindicam?

Os petroleiros reivindicam:

Unidade Petroleira!

Unidade Petroleira!

  • Cancelamento de todas as punições;
  • Ganho real (10%);
  • Produtividade (5,1%);
  • Pagamento das horas extras dos feriados trabalhados (dobradinha/extraturno);
  • Política de SMS focada nas necessidades dos trabalhadores;
  • Aposentadoria especial;
  • Igualdade de condições de trabalho, saúde e segurança para trabalhadores terceirizados;
  • Mudanças na política de contratação, que hoje é baseada no menor preço;
  • Licença maternidade de seis meses;
  • Licença paternidade de dez dias úteis;
  • Inclusão de pai e mãe na AMS;
  • Benefício educacional em valor único para ativos, aposentados, pensionistas e seus dependentes, equivalente ao maior reembolso praticado pela Petrobrás;
  • Reabertura do processo de repactuação do Plano Petros;
  • Garantia dos direitos dos anistiados;
  • Pagamento da RMNR igual para todos (sem diferenciações regionais);
  • Pagamento do Adicional de Periculosidade nas áreas operacionais (intramuros), com incidência sobre o ATS;
  • Reabertura da negociação do PCAC;

Contraproposta da empresa que não atende os trabalhadores

O que a Petrobrás propõe:

· Reajuste de 4,36% na tabela salarial e na tabela do Grande Risco da AMS;

· Reajuste de 5,93% na RMNR, no Adicional do Estado do Amazonas, no auxílio-almoço, na Gratificação de Campo Terrestre de Produção e nas tabelas dos auxílios ensino;

· Abono referente a 60% de uma remuneração normal;

· Licença maternidade de seis meses (proposta somente na carta de encaminhamento);

· Extensão dos auxílios ensino aos enteados, desde que inscritos na AMS;

  • Extensão do Programa de Assistência Especial (PAE) até os 24 anos;

· Reabertura do Convênio Petrobras/INSS para inclusão na AMS dos anistiados da Interbrás e Petromisa que retornaram à empresa na condição de aposentados (condicionado ao desligamento da empresa);

· Carência de 10 anos de contribuição à AMS para os futuros empregados que queiram garantir a manutenção do benefício após a aposentadoria;

Empresa rejeita calendário dos trabalhadores

Junto com a entrega da pauta de reivindicação no dia 31.08, os petroleiros através da FUP e seus sindicatos propuseram as datas aprovadas em assembléias para início de negociação.

As datas aprovadas foram:

Dia 10/09 Benefícios – Capítulo III

Dia 15/09 Condições de trabalho, planejamento, recrutamento de pessoal – Capítulos V, X, XI

Dia 17/09 – Terceirização

Dia 22/09 – Salários, vantagens e vigência – Capítulos I, II e XI; Relações sindicais e segurança no emprego – Capítulos IV e IX.

A empresa rejeitou a proposta da categoria e apresentou um calendário para primeira rodada de negociação entre os dias 22 e 25 de setembro.

O importante do calendário da categoria é dar tempo para o debate entre as bases e as direções sindicais no intervalo de cada mesa de negociação.

Diferentemente disso o calendário proposto pela empresa concentra as datas e dificulta o debate entre os trabalhadores e seus representantes, e alguém tem dúvida de que era isso que ele queria?

“Mexeu com meu companheiro, mexeu comigo”

A FUP acaba de protocolar a pauta de reivindicações dos trabalhadores do Sistema Petrobrás para o período de 2009/2011.

Trabalhadores de várias bases do país realizaram um ato, no EDISE, contra as arbitrariedades e autoritarismo da Petrobrás.

O ato nacional abre a campanha reivindicatória e será a primeira das várias mobilizações que serão necessárias durante o processo de negociação com a empresa.

Reabertura do PCAC

Reunião do Conselho Deliberativo da FUP. Quarta-feira 29/07/09.

Reunião do Conselho Deliberativo da FUP. Quarta-feira 29/07/09.

Durante o I Plenafup, os delegados levaram muitas demandas de suas bases, referentes ao PCAC. Diante deste fato, o coletivo presente encaminhou como pauta do próximo Acordo Coletivo a REABERTURA da discussão do PCAC.

Esta decisão foi referendada ontem, 29/07, durante a reunião do Conselho Deliberativo da FUP, no Rio de Janeiro. Este é um pleito que cala fundo no peito do jovem trabalhador petroleiro, que apesar de enxergar avanços na conclusão do processo, também vê algumas falhas que prejudicam imensamente aqueles que ingresaram recentemente na empresa. Basta citar como exemplo o fato de que pode se  levar mais de 40 anos pra chegar ao topo da carreira de nível médio, mesmo ganhando um nível por ano. Algo praticamente impossível, a não ser que  o jovem em questão “caia nas graças de sua chefia”.

Vamos ficar atentos e cobrar de nossos representantes a luta por um PCAC mais justo, para que os trabalhadores novos tenham a chance de chegar ao topo de suas carreiras, assim como ocorreu com os companheiros mais antigos.

 



 

Este é um espaço reservado para denúncias de práticas antissindicais, assédios e ataques a direitos.

JP no Twitter

Estatísticas

  • 153,650 hits